Como São Designados nossos Mentores Espirituais?

Um fraterno Saravá a todos.

Muito indagamos porque temos certos guias espirituais, muito indagamos como eles surgem em nossa vida e porquê, para essa dúvida, pesquisei muito e até queimei quase 1kg de vela para tentar obter maiores elucidações a respeito do assunto.

Primeiramente é interessante elucidar que existem alguns tipos diferentes de designações, das quais citarei algumas:

A primeira é que existem alguns que nos acompanham desde antes do nascimento, seja por determinação de nossa vibração nativa em nossa atual existência ou pela afinidade no grau de conhecimento, existe o guia espiritual responsável por toda sua linha espiritual, que geralmente é um caboclo e ele é o comandante espiritual da sua linha determinado pelo Orixá e pela sua missão em sua existência. Com isso, devemos compreender que além da afinidade existente, são companheiros determinados pelos Superiores Cósmicos para nos acompanharem durante nossa missão, geralmente o seu guia-chefe é um dos que possuem maior patamar vibratório em sua linha, porém, não é uma regra, porque já é mais do que um assunto estressado falarmos que aquele que tenta padronizar o Mundo Espiritual acabará louco.

Juntamente com o seu guia-chefe, existem outros espíritos que o acompanham desde o nascimento, logicamente o seu guardião, que é o polo negativo do seu orixá, alguns guias de trabalho e também alguns chefe de linha, denominação que eu dou para cada chefe de linha de sua corrente, por exemplo, o meu chefe de linha dos marinheiros é o Sr. Martinho Parangolá, dos baianos, o Sr. Zé Baiano e assim vai.

Importante salientar que para muitos médiuns, a sua linha ainda não está totalmente formada, ela será adequada com o decorrer do tempo, seja pela missão configurada, pela casa que você frequenta ou pela determinação dos seus chefes durante o tempo, dependendo da casa que você está, você vibrará com um certo tipo de trabalho e consequentemente se aproximará entidades afins com aquela energia. Existe também o fato que nem todos te acompanharão pelo resto de sua vida, sim, existem aqueles que deixarão de incorporar mas continuará com você e existem aqueles que se afastarão de verdade; Existem muitas mudanças no âmbito espiritual, por exemplo, você pode se afastar por tempo indeterminado, seu guia espiritual pode ter sido escalado para uma nova missão, você pode ter sido “trocado” por não representar uma conduta adequada àquele que você está servindo, enfim, existem diversos motivos. Quantos médiuns se afastam ou mudam de casa e começa a aparecer entidades diferentes? Claro que possuímos aquele “core”, aquelas peças-chaves que nos acompanharão para onde formos, mas também existe muitos fatores que podem alterar a sua corrente mediúnica, conforme já citei, mudança de casa, mudança de missão, afastamento do médium, evolução do médium ou do guia espiritual, alteração na egrégora, por exemplo, se eu estou no Candomblé e trabalho com um “caboclo boiadeiro” que canta, dança, fuma e come, se eu for pra outra casa e aquele guia não estiver de acordo com a sua forma de trabalho, ou pode vir um da mesma falange, ou ele pode se afastar dando lugar a um outro boiadeiro ou até mesmo tentar se adaptar às mudanças impostas.

Ao contrário do que muitos pensam, eles são dotados de consciência única e não são marionetes ou espíritos que estão ao nosso dispor, eles também tem o poder de escolha e podem optar por não trabalharem com você, ou podem também aceitar todas nossas mazelas e estarem ao nosso lado, tudo depende de vários fatores que podemos ficar o resto do ano mencionando.

Existem também aqueles que estão de acordo com suas ideias, seus objetivos e por algum motivo, seja para trabalho, seja um desígnio ou missão, se aproximam de nossa linha e com a permissão de nosso Orixás e de nosso guia-chefe, também desempenham o papel de incorporação em nossa matéria, já citei o nome de alguns aqui no Blog, em 2008 a chegada do Sr. Chico Preto, depois de 11 anos de Umbanda, a chegada de Mané Baiano por volta de 2011 que é um cangaceiro, são alguns que apareceram muito tempo depois durante meu trabalho umbandista para trazer novos ensinamentos e também aprenderem, para trazer novas vibrações e para que também possam desempenhar seus papéis de perpetuar os ensinamentos sagrados.

Nos últimos trabalhos também estou sentindo a chegada de um guia que trabalhará na linha de malandros, e como eles sabem, que estou sempre disposto a novas experiências e que hoje sou uma pessoa relativamente isenta de preconceito e tenho como principal ideia, qualquer espírito que tenha a permissão do Altíssimo e de meus guias-chefe para trabalhar em minha matéria, que sejam bem vindos.

Claro que também temos aqueles guias espirituais que estão em nosso lado na contenção, não são incorporantes, mas são peças-chaves para nossa evolução espiritual, estão ali nos ajudando e auxiliando os guias incorporantes de nossa corrente espiritual, existem aqueles que descem raramente, e para isso, por alguns motivos específicos: Seja porque já alcançou um estágio onde não precisa mais incorporar, seja porque sua função na linha seja apenas gerenciar sua corrente mediúnica e suas tarefas se resumem a outras ocupações, seja porque não ocupa uma posição de grande importância em sua linha, ou seja, pode ser um guia que só chega quando o seu de trabalho está ausente ou porque não é a principal função dele. Existem aqueles que descem raramente em festas também, que seria o seu segundo ou terceiro guia da linha.

Ao contrário do que muitos pensam, nem todos os nossos guias de frente incorporam, alguns chegam somente para dar o nome e supervisionar o nosso trabalho espiritual, alguns como já alcançaram determinada evolução espiritual, não são mais incorporantes e se ocupam com outras tarefas, principalmente àqueles que são designados a gerenciar um templo espiritual, nem todo Exu de Frente desce e dá o nome bem como o próprio caboclo, existem dirigentes que deixam como nome da casa, o segundo caboclo porque o primeiro não permitiu, esse último motivo do qual ainda tento descobrir.

Alguns médiuns chegam a incorporar até 7, 8 guias de uma mesma linha, seja caboclos, baianos ou quaisquer outras linhas dentro de sua falange, enquanto outros, trabalha com um único guia a vida inteira, isso se deve também a alguns motivos, já é sabido que nem todos os médiuns possuem a mesma quantidade de guias que outros, houve uma época em que tabelavam o número de guias que podíamos ter na linha e isso caiu em desuso porque ocorreram vários fatores que contradizem essa ideia, cada pessoa tem a sua missão determinada pelo Cósmico, se você é um médium de cura, e sua missão é essa, obviamente você não terá 15 exus de porteira, se você é um médium de limpeza, obviamente você não terá 15 caboclos de cura e nenhum de limpeza, então tudo é determinado pela sua missão, vibração e pra isso, você nasce com a Vibração Orixá correspondente.

Um outro aspecto importante, gostaria de ressaltar para nem todos acreditarem nessas falanges que lemos pela internet, isso não foi confirmado por nenhum guia, se o Pena Branca é da mesma falange que o Águia Branca é o chefe, se o Cobra Coral é um guia subalterno de Arariboia, isso é um assunto que ainda é muito pouco estudado, um irmão que tem um caboclo chamado Sol Nascente e Tira-Teima veio me indagar porque ele tem entidades que não tem estudos, que parece que são espíritos de terceira, porque são pouco conhecidos e não ocupam nenhuma posição de destaque em literaturas, digo-lhes com toda a certeza que existem novas falanges se apoderando do Mundo Espiritual e conforme já mencionei em alguns posts, outros raramente se apresentam nas casas, como é o caso de Urubatão, Caboclo Tupã, Sultão das Matas, entre outros que sua vasta falange vem ficando cada vez mais rara, em contrapartida, conheci um caboclo chamado “Águia Valente”, pouco difundido nos cultos umbandistas e presenciei um trabalho fantástico, o mesmo caso de um outro caboclo chamado Búfalo Branco, NUNCA ouvi falar em nenhum lugar sobre o caboclo, mas trabalhou com maestria na ocasião que presenciei, vale aquilo que sempre falei, mais vale um médium excepcional com um caboclo desconhecido a um médium tolo com um chefe de falange, o chefe se limitará ao médium que por sua vez não é adequado, causando um trabalho deficiente.

Nada é uma regra e assim como o Universo, cada partícula atômica de nosso corpo, é tudo dinâmico, tudo é mutável e ao passo que expandimos nosso conhecimento, mais evidenciamos a nossa ignorância, até o final do século XX, o átomo era formado por apenas 3 elementos, os próton, nêutrons e elétrons, hoje já conseguimos dividir ainda mais essas partículas formando os quarks, fótons, léptons e o famoso bóson de Higgs (ESTRANHO QUE ALCANÇAMOS SETE ELEMENTOS NÃO?) quem quiser saber mais sobre, segue um resuminho: http://super.abril.com.br/universo/boson-higgs-nao-deu-nem-pro-comeco-697828.shtml

Então padronizar um tipo de conhecimento, limitar e delinear o Mundo Espiritual é o mesmo que procurar em um quarto escuro, um gato preto que não está lá, como dizia Voltaire, então não existem padrões e sim aquilo que eu sempre digo, boas práticas, o que também é relativo, para muitos é excepcional passar galo vivo nas pessoas e sujar todo mundo de ovo, em meu conceito de boas práticas isso nunca aconteceria.

Se você possui dois falangeiros de Ogum, parabéns, isso pode acontecer e muitos dirigentes NEGAVAM VEEMENTEMENTE essa ideia, se o seu Ogum fala, parabéns também, nada é uma regra e tento não ser presunçoso ao fato de criar regras rígidas para isso, cada um é cada um, cada qual sabe no fundo de sua alma o que veio fazer e se você tem 15 caboclos e 5 Oguns, que faça jus a essa responsabilidade que recebeu.

Afinal, todos nós estamos aqui com um único objetivo: Nos aperfeiçoar e chegar até o Altíssimo!

Paz Profunda.

Neófito da Luz .’.

Anúncios

O Outro Lado da Moeda

Mundo Espiritual

Saudações fraternais amados irmãos.

Como sempre digo, esse blog não tem caráter informativo e sim reflexivo, importante salientar que quando informamos, apenas dizemos sem nos preocuparmos com o feedback de outrem, diferente de comunicarmos onde se estabelece um diálogo entre duas ou mais partes. Mas o objetivo desse blog não é nenhum dos dois, é apenas plantar a semente do amadurecimento espiritual, do conhecimento, da vivência e auxiliar a caminhada individual de cada um dos irmãos que aqui estão presentes.

Importante salientar que graças a esse blog, comecei a me aproximar mais de pessoas especiais, algo que só comecei a fazer nesse semestre, porque o neofito seria apenas o escritor do blog e a minha vida particular, outra pessoa, mas em breve, vou unificá-los e estou muito grato por algumas pessoas das quais me escrevem, fizemos amizade e podemos nos aproximar um pouco mais.

Esse post refere-se a algumas dúvidas que surgem, até mesmo algumas contestações das quais me referirei no decorrer do texto.

É sempre importante salientar, ressaltar, repetir e ressaltar novamente que esse blog é apenas uma das diversas linhas de trabalho dentro da Umbanda, a minha linhagem, a minha espiritualidade, os meus ensinamentos não se fazem a verdade absoluta, é apenas um galho da Grande Árvore da Espiritualidade, o que eu passo aqui, em grande parte do tempo, foi ensinamentos dos meus mentores, obviamente algumas coisas, são opinião pessoal e minha experiência no decorrer dos anos, futuramente farei um post chamado “Como seria o trabalho de Umbanda na casa do Neófito?”, mas esse vai demandar um tempo maior justamente porque dependo de mais de um mentor conversando comigo, porque sei que o Patrono de uma possível casa será o Sr Urubatão da Guia, mas algumas diretrizes partirão de outros mentores, mesmo porque a Linha do Oriente em minha corrente é muito presente, mas isso é assunto para próximos posts, inclusive sobre a Linha do Oriente.

Voltando ao que eu estava dizendo, o Urubatão que eu sirvo, pode trabalhar diferente do Urubatão de outro medium, assim como outros mentores que levam o mesmo nome pode ser totalmente diferente de um outro da mesma falange e assim vai.

Um fato que eu gostaria de deixar claro novamente é que não diminuo outros tipos de trabalho desde que sejam REALIZADOS COM AMOR E HUMILDADE, o mentor pode dançar? Pode! Pode beber? Pode! Pode sorrir? Pode! O que eu não gosto é de interferência e vaidade do próprio medium.

–       Neofito, eu estava doente, Sr. Zé Pelintra me fez beber cachaça, a dor passou e não tive mais nenhuma enfermidade desse tipo depois de um trabalho com cachaça e cigarro!

Excelente, vemos aí que foi realizado um trabalho de amor e caridade, um trabalho efetivo dentro da espiritualidade. Agradeço de coração que ainda existam mediuns capazes de realizar essa ponte. Agora vamos esmiuçar melhor isso.

Primeiramente eu havia dito em um dos posts, “Efeito Placebo na Umbanda” que muitas vezes os mentores utilizam elementos para que possa acelerar a fé do medium ou para que possa atuar em um nível vibratório mais baixo para atingir a enfermidade do medium, para isso, existe a pinga, existe o fumo, algumas vezes para uma coisa, algumas vezes para outra coisa, mas na grande maioria dos casos, existem para essas duas funções. Existe uma terceira que é porque o mentor ainda não sabe trabalhar com elementos mais sutis, SIM, ainda existem mentores em evolução dentro da Egrégora da Umbanda, isso me foi passado hoje.

Existem os guias que ainda estão ligados à liturgia afro-brasileira, que dependem de elementos telúricos como bebidas, cigarros, entre outros artefatos, existem os que não precisam de tanto e existem os que já trabalham sob a égide de um polo mais sutil de energia, como Kardecismo ou até mesmo com algum Mestre Ascensionado como Saint Germain, El Morya, entre outros.

Esse Sr. Zé Pelintra que curou essa filha, pode estar dentro da classe dos que ainda estão em evolução ou dentro da classe dos mais evoluídos que utilizam esses recursos apenas como efeito mental no próprio consulente ou que necessita de alguma carga vibratória mais densa para atingir o objetivo final que é desmanchar o miasma no corpo espiritual ou físico do consulente.

O que estou querendo dizer com tudo isso e que já havia dito isso incessantemente em outros posts, existem formas diferentes de trabalho, existe até mesmo certo tipo de divergência magística no plano espiritual, a divergência que eu quero dizer, meus caros, não é rixa ou mazela, e sim formas de trabalho diferenciada. Como já havia dito, o Sr. Chico Preto que trabalha comigo, ele EXIGE o cachimbo, o chapeu, entre outros aparatos umbandísticos, enquanto meus caboclos, preto-velhos e até alguns exus não querem mais nada disso.

Resumindo tudo isso:

–       Existem mentores em evolução que dependem de certos elementos para ainda realizarem seus trabalhos? SIM.

–       Existem mentores que ainda trazem o seu nome de Umbanda, mas já trabalha em outras camadas mais sutis? SIM.

–       Um mentor que ainda trabalha com elementos telúricos ele pode causar algum mal ao filho? NÃO.

–       Este mesmo mentor é pior daqueles que já não utilizam desses fluídos densos em seu trabalho? NÃO.

–       É errado os mentores utilizarem bebidas alcóolicas em seus trabalhos, bem como o fumo para a prática do bem e da caridade? NÃO.

–       Estes mesmos mentores que trabalham na camada mais telúrica podem um dia trabalhar nas camadas mais sutis da magia? SIM.

Mas é muito importante realizar uma ressalva, ao passo que você vai evoluindo, estudando, aprendendo, crescendo, seus mentores o acompanharão nessa jornada, nessa empreitada, é algo que eu sempre digo, eles também aprendem conosco, então é importante sair do comodismo e sair da osmose que existe em muitos centros de umbanda. Faça a diferença, cresça, não limite o poder do seu mentor, pelo contrário, floresça espiritualmente.

Não devemos nunca nos acomodar, assim como o tempo é contínuo, o nosso aprendizado também deve ser. E já havia dito, mediunidade e mentores é uma simbiose, um precisa do outro para evoluir, ambos aprendem, ambos auxiliam e ambos trabalham para a prática do bem e da caridade, o medium doa seu tempo e a matéria, enquanto o mentor doa seu conhecimento e magia, com isso, todos saem ganhando. Não limite o poder do seu mentor com a cegueira da ignorância.

Todos são trabalhadores da prática do bem e da caridade, assim como uma Grande Instituição, seus colaboradores começa do porteiro, aquele que abre a porta para a entrada de visitantes e termina no CEO, ou o presidente da Insituição, todos dentro dessa Instituição tem sua função predeterminada, desde a copeira, que prepara nossas bebidas, a mulher da higiene, que mantém nosso ambiente de trabalho agradável, aromático e limpo, ao colega da TI, que dá o suporte quando o computador trava ou deixa de cumprir as funções determinadas, até os gerentes, diretores, e assim vai. Tudo é um organismo, somos apenas células de um Corpo muito mais Complexo do que imaginamos.

Como sempre digo, não existe o Certo ou o Errado, existe sim, o conjunto de boas práticas. Isso que temos que nos atentar, por exemplo, não podemos dar para uma criança de 6 anos, 3 copos de pinga para dar um passe, não podemos pedir também para que um senhor de idade receba todos os possessores em sua matéria para fazer limpeza.

E é importante ressaltar o que eu sempre digo, além de ser mais importante a dedicação do medium ao seu grau de incorporação, mas vale a boa intenção daquele mentor à forma de trabalho do mesmo. Se está fazendo o bem, não deixando sequelas no medium ou no consulente, que seja muito bem vindo na Seara do Amor e da Caridade.

Assim como os cargos existentes em uma empresa, assim como as patentes existentes no âmbito militar, ou até mesmo a hierarquia dentro das Instituições Religiosas, existe também essa mesma divisão dentro do Plano Espiritual.

Vibre positivamente, Vibre sempre com o Amor Pulsante para que você atraia somente Espíritos de Luz que visa o seu amadurecimento Espiritual e o Amor ao Próximo.

O outro lado está infestado com a Penumbra das trevas, faça de tudo para não ser mais um canal deles.

O Poder está em Vocês! Se o seu mentor bebe, fuma, dá cambalhota, não importa, desde que ele cumpra com objetividade a sua função dentro do centro, porque eles não utilizam seu corpo pra vir brincar, eles tem uma função a cumprir, então ajude-os.

Eles também dependem de você!

Paz Profunda meus queridos.

Com amor.

Neófito da Luz.