Um dos grandes ensinamentos do Sr. da Meia-Noite

Um exú que muito admiro, muito raro, porém de extrema competência, sabedoria e postura, aqui vai um texto sobre ele escrito por Alberto Ebomi

Consulta com Exú e Pomba Gira deveria ser sempre assim:

Boa noite, vocês estão aqui para ouvir e eu vou agradecer a quem escutar. Quando se vai em algum lugar, se deve levar alguma coisa boa. O que se recebe em qualquer lugar corresponde ao que você leva a ele.

Gosto do trabalho aqui… hehe, só chegam perto de mim santinhos… Ihahahahahaha!
Dizendo para minha banda que nada fizeram para merecer da vida o que tem vivido e que Exú dê um jeito para abrir os caminhos. Para esses dou a minha melhor gargalhada!

São seres de dupla medida: uma para si outra para as coisas que os contrariam. São seres medrosos que esquecem que deles mesmos depende as decisões e consequências.

Muitos vêm até a minha banda querendo isso ou aquilo e nada de realmente bom e perene nos trazem.
Trazem lamúrias, trazem queixas, trazem pedidos. Mas dificilmente nos trazem aceitação, renovação, dedicação ou gratidão verdadeiras.

Muitos nos oferecem coisas perecíveis e passageiras para que possamos dar jeito de ajeitar suas vidas, camuflar as falhas que cometeram ou para satisfazer caprichos tratando a banda como mercenários a seu serviço. Pensam que o céu é para eles e para Exu só as podridões.

Dizem respeitar a banda porque querem nossos favores. Dizem respeitar a banda apenas porque tem medo do que a banda possa fazer.

Dizem respeitar a banda, mas ao menor embaraço começam a debandar e caçar outros que façam por eles o que eles mesmos não tem a ousadia de fazer. Dizem respeitar a banda e nos tratam como empregados a soldo de marafo e outras coisas. São seres que não sabe bem o que querem e exigem que Exu saiba. Exu sabe e por isso Exu faz! Porque quem sabe faz, e o que não sabe fazer, pede.

Trocamos, sim. Porque são ingratos e petulantes e pensam que o que vale nada, nada vale! São seres que querem por mágica que a banda dê jeito de melhorar suas vidas. Sem que nada tenham que melhorar em si mesmos.

Querem resguardo, pedem guarida para se manter pomposos e orgulhosos nos caminhos tortos que gostam de andar. Cheios de empáfia e sem a menor vontade de fazer algo por alguém. E nem tem vergonha de vir pedir para a banda fazer o que eles mesmos não fazem! São seres que acreditam que podem comparar Exu com umas porcarias que para nós nem tem muito valor. Por serem ovelhas que só querem o sustento de suas vontades. Seguem ao primeiro sanar qualquer necessidade. Achando mesmo que como são assim, Exu também, tem que ser.

Sem nem pestanejar entregam qualquer coisa que a banda quiser desde que consigam o que desejam sem para isso ter que se esforçar. Por isso tem muito rabo de encruza por aí a se fartar. Achando que o céu é perto, nenhum nem o outro quer se consertar.

São seres que dizem Laroiê sem fé e sem razão e Mojubá sem disso ter qualquer convicção. Para esses, meus ganchos são afiados.

Pedem proteção da banda para continuar os desmandos e com isso pensam poder continuar sem rumo ou comando abusando da liberdade que tem. Achando que cobrir um erro com outro vai fazer o acerto. Querem que Exu sempre fortaleça aquilo que não é conquista deles. Batem no chão e no peito dizendo: Eu tenho Exu! Será que nos têm mesmo ou somos nós que os temos?

Então, já que vem visitar minha banda trate de trazer o melhor que tiver. Não é marafo, não é charuto e muito menos sangue de piá! É ao menos a vergonha na cara, de vir para se melhorar. Se vier pedir demanda, demanda vai levar. Não aquela que pedir, mas aquela que eu mandar. Porque se seu coração é negro não sou eu que vou te clarear. Iahahahahahahaaaa!

Ganhei uma nova estrela e um potente cajado e garanto que não foi por ter ocorrido das lutas ou abandonado meu comando.

Então se vem até a minha banda, traga algo que preste, porque posso até facilitar alguns trajetos, mas, não vou desonrar minha jura a quem em mim confiou para manter o equilíbrio da minha banda.

Boa noite que já vou me retirar e no meu reino vou te esperar. Pense bem quando vier aqui me procurar, tenho pressa, ando rápido e posso muitas coisas estar fazendo. Então não gaste meu tempo com bobagens que você mesmo pode resolver.

Ajo rápido, ando longe mas não gosto de falação. Guarda bem o meu conselho. Respeite a si próprio e num vai ter do que reclamar. Se quer o respeito da minha banda, seja você o primeiro a se respeitar.
Salve o Grande! Porque é o Grande que mais pode! Salve a Minha Banda!

Agradeço a quem ouviu e agradeço mais a quem me escutou. Boa noite!

Essas sábias palavras servem para todo o tipo de gente, principalmente aqueles que pensam que Exu não é entidade e sim um amigo que lhe resolve tudo, que lhe dá o homem ou a mulher que deseja. E não é bem assim que as coisas funcionam, Exu é uma entidade que deve e muito ser respeitada. Eles não são nossos amigos de escola ou do trabalho que conversamos como se não fossem entidades. São entidades poderosas que podem virar tua vida de cabeça para baixo através das menores das brisas.

Bem… cada um reflita sobre si e veja se estas palavras não tem razão em muitas coisas!!!

Salve a Vossa Banda
Laroyê Exu,
Exu é Mojubá!!!

Anúncios

Exu, o Escravo do Orixá?

 

Saudações Fraternais, irmãos de senda.

Hoje venho escrever sobre um fato muito mencionado em terreiros de nação e as famosas Umbandas Traçadas, o Exu ser o escravo do Santo, ou do Orixá como muitos dizem.

Mais uma vez gostaria de ressaltar que eu não sou adepto ao antropomorfismo, acredito que Orixá é um desprendimento do Divino, nesta mesma filosofia, entra o estudo de anjos, que todos possuem nomes como Miguel (Igual a Deus), Gabriel (Mensageiro de Deus),  Rafael (Companheiro de Deus), a partícula EL, ELI em hebraico significa Deus, o prefixo é a “qualidade” ou “definição da função” do Anjo.  O que também considero serem “qualidades” de Deus.

Tudo pra mim é desprendimento da Vibração Universal, assim como também somos parte desse desprendimento, Fomos Feitos à Imagem e Semelhança, nesse preambulo, acho inconcebível uma vibração, no caso, a vibração Exu ser ESCRAVA de outra vibração, que é a vibração dos Orixás.

Os exus que conhecemos, Tranca-Ruas, Marabô, Meia-Noite, entre outros são guias que trabalham sob a vibração Exu, que já tem um post específico para isso no blog, assim como existem caboclos que atuam sob a égide de Oxóssi, Ogum e assim por diante.

Não existe escravidão e servidão no Plano Espiritual, existe cooperação, existe união de energias, um exu pode trabalhar com outro Exu, um caboclo também pode vir na esquerda, dependendo      do patamar vibratório e da necessidade do mesmo.

Orixá não tem escravo, Orixá é energia, é vibração e tem todo um exército de prontidão e competente para trabalhar sob seus auspícios, e é claro que essa Vibração existe os seus representantes puros, que são os espíritos que vem como orixá na Umbanda, um representante daquela vibração, como Ogum Beira-Mar, Ogum Rompe-Mato, Xangô Sete Pedreiras, Xangô Pedra Branca que são representantes diretos da vibração e consequentemente os outros guias, como caboclos, preto-velhos e diversas outras linhas.

Exu tem vibração própria, isso não significa que existe uma vibração cooperativa ou até mesmo cruzada com outra vibração, por exemplo, na Umbanda, existem Exus de Ogum, como por exemplo Tiriri, Tranca-Ruas, Sete Encruzilhadas, Exus de Xangô como Meia-noite, Rei das 7 Encruzilhadas e assim por diante, mas isso é uma cooperação, é a linha de Exu cooperando com a Vibração dos Orixás.

O seu Orixá traz o seu respectivo guardião para dar embasamento em sua linha e dar suporte aos seus trabalhos mediúnicos, ele é um cooperador da vibração do seu Orixá e não o escravo.

Namastê

Neófito da Luz

O Mistério, o Orixá e a Linha de Trabalho Exu

 

Exu é sem sombra de dúvida a divindade mais incompreendida de todas. Taxado muitas vezes de Diabo ou demônio, Exu é cultuado em muitas e muitas culturas com outros nomes. Aqueles que o  cultuam, o adoram e gostam muito dele, tendo uma visão muito diferente das pessoas que não o conhecem.

Quando fala – se em Exu, estamos falando em um dos três aspectos em que ele manifesta – se. Podemos dizer que acima de tudo Exu é um Trono da Vitalidade, uma divindade que vitaliza toda criação dando força e vigor para tudo realizar – se. Esse Trono da Vitalidade é cultuado em muitas culturas com nomes diversos. Na África ele é cultuado como Exu, quem vem do Yorubá e quer dizer esfera, mas é também cultuado em muitos outros povos, sendo Loki para os nórdicos, Seth para os egípcios, estando presente em Shiva dos hindus,  em Hermes e Dionísio dos gregos e podemos dizer em todas as divindades fálicas (aquelas que tem como símbolo um falo ereto). Percebemos então que ele é uma força divina da criação, e que está em tudo, sendo cultuado em todas as culturas. Esse é o aspecto “mistério” de Exu.

Na África esse Trono recebeu o nome de Exu e todo um culto em seu nome foi sistematizado.  A Exu o falo ereto foi consagrado (Ogó em Yorubá) e esse virou o seu símbolo. Ele foi e ainda é uma divindade cultuada pela sua força e vitalidade, além de muitas vezes estar ligado ao próprio vigor sexual. Apesar disso para melhor compreender esse Orixá é necessário que entenda – se que ele não atua apenas no campo sexual, mas sim, em todos os campos de nossa vida, nos vitalizando quando estamos apáticos em algum sentido e nos desvitalizando quando nos excedemos em outro. Exu também nos cultos afros (Candomblé, Culto de Nação) é considerado o mensageiro dos Orixás sendo aquele que traz aos homens a mensagens das divindades, ou seja, dos Orixás. Apesar disso é cultuado como um Orixá da mesma “grandeza” de todos os outros. Em suas lendas e em seu arquétipo humano, achamos talvez o “mais humano dos Orixás”. Muito dual Exu traz em si a luz e as trevas e isso é demonstrado em seu arquétipo ora benevolente ora cruel. A ele também é atribuído um ótimo senso de humor (com sarcasmo claro) além de muitas vezes ser o causador de confusões. Apesar disso é retratado como muito esperto e inteligente. Esse é o Orixá Exu.

Na Umbanda Exu além de Mistério e Orixá é principalmente “linha de trabalho”. Nela muitos espíritos incorporam e prestam a caridade dando o nome de Exus. Para entendermos essa linha vejamos: Um espírito encarna e em sua vida carnal, comete erros e torna – se uma pessoa desvirtuada, criando um verdadeiro inferno consciencial dentro de si mesmo. Quando ele desencarna é atraído e vive esse “inferno” pessoal. Depois de algum tempo seu negativismo esgota – se e ele sente a necessidade do trabalho para resgate. Então nessa hora, entra a linha de trabalho Exu, dando condições desse espírito trabalhar para o Criador, dentro de suas condições, e assim voltar novamente a caminhar rumo a Ele. Esse espírito torna – se um “Exu de Lei” (espírito humano que traz a força e qualidades desse Orixá) e dizemos assenta – se a esquerda de um Orixá a qual ele responde e trabalha. Assim esse espírito começa a fazer um trabalho específico dos Exus no astral denso, trazendo a força do Orixá Exu e de mais um Orixá a qual ele responde e o qual ele também acessa e fundamenta suas forças.

A maioria dos Exus que conhecemos tem essa história. Mas é importante entendermos que muitos espíritos denominados Exus já alcançaram um grande grau de evolução consciencial, mas continuam trabalhando nas trevas densas por escolha própria e por achar que lá ele serve melhor ao Criador e aos Orixás. Também temos alguns casos de espíritos muito elevados que nunca tiveram uma “queda” nem passagem por nenhum plano astral denso, mas que também por opção assenta – se nas trevas densas e lá começa a fazer todo um trabalho de sustentação da Lei e de resgate. (os livros O Guardião da Meia – Noite e o Guardião Tranca – Ruas mostram esses dois casos- Rubens Saraceni).

Exu então é Guardião, verdadeiros “policiais” do astral inferior, contendo ataques oriundos do baixo – astral, protegendo as casas que realizam trabalho espiritual de qualquer tipo, são também grandes desobsessores, realizando desobsessões dificílimas, recolhem e manipulam facilmente energias densas sendo muito bons para o “descarrego” e limpeza espiritual, além de cortarem e desmancharem as nefastas magias negativas. Resumindo Exu normalmente segura e segura muito bem a BUCHA! São grandes trabalhadores, muito protetores também. Tem um jeito muito humano e tudo que tem que falar, falam na cara, não mandando recado. Também fazem maravilhosos trabalhos de cura.

Utilizam – se como elementos magísticos cigarros, velas (preta e vermelha basicamente podendo ser utilizadas outras como a branca, roxa etc), charutos, pinga, pólvora (fundanga), punhais, pedras, ervas, etc, etc. Temos Exu em todas as sete vibrações e que respondem por cada um dos Orixás. Através da interpretação do seus nomes simbólicos chegamos a qual força e em qual campo eles trabalham.  

Deixamos claro aqui que Exu não é o Diabo nem o demônio, título esse que muitas religiões querem dar a ele. Também não é aquela manifestação ridícula de um espírito que baba, rosna e só sabe falar palavrão. Também dentro da Umbanda em hipótese nenhuma utiliza – se O SACRIFÍCIO ANIMAL OU SANGUE COMO ELEMENTO MAGÍSTICO” (AQUI NÃO ESTAMOS CRITICANDO, APENAS DEIXANDO CLARO QUE ISSO NÃO É PRÁTICA DE UMBANDA). Também de forma alguma Exu dentro da Umbanda presta – se a trabalho de magia negativa. Por isso o chamamos de Exu de Lei, pois trabalha dentro da Lei da criação e dentro da Lei Religiosa de Umbanda, sendo assim NUNCA PRESTANDO – SE PARA TRABALHOS NEGATIVOS DENTRO DE UM VERDADEIRO TERREIRO DE UMBANDA!

Essas são as características e manifestações de Exu. Escrevi resumidamente e muito pode ser falado sobre esse assunto. A todos sugiro que caso consigam, leiam o “Livro dos Exus” e o “Guardião da Meia Noite”, dois livros psicografados por Rubens Saraceni que explica muito bem esse mistério divino.

Laroyê Exu! Exu Mojibá! – Fernando Sepe