Tempo para Desenvolvimento Mediúnico (Incorporação)

Saudações prezados leitores e irmãos de senda.

Um cordial Saravá!!!

Algumas pessoas me indagam sempre sobre como estão atrasados ou adiantados no desenvolvimento mediúnico, e com a experiência que eu tive no decorrer dos anos, não existe estar atrasado ou adiantado, existe o tempo certo de preparação de cada um. Para alguns, chegar em um centro e já receber em três meses é considerado um prodígio, enquanto que outros que demoram três anos, estão atrasados ou não firmam direito.

Algumas considerações devem ser analisadas de forma minuciosa ao realizarmos tais julgamentos, mesmo porque, cada médium tem o seu tempo certo de “maturação”, decorrente do seu corpo perispiritual, da linha da qual ele trabalha, de qual patamar vibratório ele pertence e qual mediunidade é correspondente.

Com isso, cria-se muita vaidade, fulano já conseguiu receber em três meses depois de vestir branco, o fulano tá adiantado, que fulano firme, enquanto outro fica ali há um ano e só recebe raras irradiações e já é julgado não servir para ser médium em muitos casos, por isso, tentarei esmiuçar um pouco sobre o que a experiência me ensinou e repassar um pouco disso a vocês.

Uma outra lenda comumente utilizada nas casas é que o FILHO JÁ NASCE FEITO, como se fosse um JEDI (Para os Geeks de Plantão), e a história não é bem assim, todos nós já nascemos iniciados em relação ao despertar mediúnico, é MUITA PRESUNÇÃO de um dirigente achar que ele que “prepara” o “santo” do médium e todos os seus guias, todos nós já nascemos como uma pedra bruta pronta a ser lapidada, alguns já nascem com lapidação prévia, já trazem consigo parte do aprendizado para poderem repassar aos demais, são os que nascem com a missão do sacerdócio, mas o que difere esse de um filho iniciante é apenas a sua missão, um dos motivos que eu ABOMINO veementemente é o bater cabeça ao dirigente do centro, eu sou um errante como outro qualquer, se fui designado a ter a minha casa, alguma dívida muito grande eu tenho para carregar comigo essa carga e isso não me faz melhor do que o médium que me assiste, portanto, se a Umbanda prega a humildade, todos nós SOMOS IGUAIS dentro de um centro.

Todos nós já nascemos feitos para o trabalho mediúnico, o que vai diferir um do outro é a missão da qual foi incumbida. Apenas isso!!!

Já estressei demais nos artigos que escrevi como de começa a mediunidade, como funciona a incorporação, e confesso ficar extremamente decepcionado com filhos que já antes de ler o que está nos artigos, me enchem de perguntas, das quais, já estão todas respondidas no blog, para aquele que busca, é sempre bom peneirar, procurar, minerar as informações, muitos querem as informações de mãos beijadas e é aí onde começa toda a complicação, outros, acreditam na primeira coisa que leem, abrem o Google, buscam o que precisam e no primeiro site, já assumem aquilo como verdade, por isso, eu repito, temos que peneirar e tem um artigo no site que diz sobre isso aqui.

Hoje podemos presenciar uma mistura demasiada no tocante a faixa etária na Umbanda, médiuns dos oito aos setenta anos que iniciam-se nas casas umbandistas, muitos pela dor, outros pelo amor, outros apenas por curiosidade, alguns, iniciam-se no processo de incorporação com dez anos de idade, outros com sessenta anos de idade, muitos existe a pressa, a necessidade imediata do trabalho, seja para o saldo de dívidas, seja porque a corrente espiritual que o adepto carrega, precisa trabalhar, outros, os guias espirituais não possuem tanta pressa, vai da metodologia da corrente espiritual da qual você serve.

Obviamente, a firmeza do filho é um agravante nos trabalhos, mas nem sempre o desenvolvimento mediúnico de incorporação deve ser analisado pelos trancos, pelas vibrações que o filho recebe, pelo contrário, muitos filhos mesmo ali quietinhos, sem receberem tantos solavancos, estão sendo desenvolvidos pela espiritualidade, seja pelo aprendizado da observação, seja porque os guias espirituais devem preparar os seus chakras para tal.

A preparação para um médium que realizará consultas, indubitavelmente será diferente de um médium de limpeza, consequentemente, bem diferente de um médium de cura e mais diferente ainda de um médium que assumirá determinado cargo na casa, cada um tem o seu tempo, eu mesmo demorei um ano para incorporar o primeiro baiano, que Deus o tenha Sr. Zé do Coco (Rsrs), meu irmão que entrou comigo, em três meses já estava trabalhando com preto-velho, obviamente isso chateia muito o médium iniciante, que está ali de corpo e alma e nada de sentir uma vibração, nada de sentir um tranco, nem mesmo um arrepio, mas compreendo que o fruto só cai no tempo certo, e o meu preparo mediúnico demandou muito mais tempo, não por eu ser melhor ou pior, mas porque depois eu fui convidado a abrir os trabalhos devido a uma pequena clarividência que me auxiliava em sentir quem estava por perto, em ao menos, “imaginar” que tipo de guia espiritual estava ali, o que para alguns, eu estava atrasado, para o meu padrinho na época, era necessário eu aprender observando os demais, participar de outros trabalhos que não envolviam a incorporação, depois de ter aprendido grande parte do mecanismo da casa, foi quando comecei a sentir as vibrações espirituais.

O tempo não é importante, não é uma escola onde todos tem o ano letivo para passar ou repetir, o desenvolvimento mediúnico é gradativo, obviamente, como eu disse, a dedicação também faz parte, não adianta um médium seguir uma conduta que degrada seu corpo espiritual, como mulheres, bebidas e afins, porém, como eu sempre venho dizendo, não é uma EXATA, existem médiuns que não precisam TANTO seguir os preceitos, enquanto outros, no mínimo de desvio, já tem sérias consequências.

É o que eu digo, cada médium tem a sua vibração, cada médium tem a sua cobrança, alguns médiuns possuem guias espirituais extremamente severos, enquanto outros, mais amenos, isso dependerá do seu orixá, da sua missão em Terra, se você está há 3 anos em uma casa de branco e ainda não incorporou, utilize outra perspectiva de análise, veja o que está aprendendo estando desincorporado, observe como as entidades chegam, como os dirigentes trabalham, às vezes essa demora é apenas para te tornar um observador minucioso, às vezes essa demora é porque não exista tanta pressa dos seus mentores ou porque ainda não é o seu tempo certo e obviamente, não devemos descartar também, o que você anda fazendo fora do centro?

Ignorem o dito popular, fulano nasceu feito, fulano já incorporou as sete linhas com apenas quatro meses. Com qual qualidade ocorre essa incorporação? É muito mais anímica? É mistificada? Realizam trabalhos bem feitos? Uma cura? Falam ao filho de forma sábia e plausível? São vários fatores que devemos colocar em mente antes de louvar alguém que incorporou tão rápido!

Apenas um simples artigo.

Namastê.

Neófito da Luz .’.

Anúncios

As Previsões na Umbanda

Saudações prezados irmãos de Senda, um cordial Saravá a todos.

Esse é um tema extremamente polêmico para muitos irmãos de senda, muitos centros repudiam ostensivamente a “Adivinhação”, outros fazem dezenas de previsões infundadas que acabam comprometendo a reputação da religião e consequentemente a degradação da casa. Por isso, estudei muito o taoísmo, mesmo sendo difícil, prefiro o caminho do meio. Queria dizer aqui que esse artigo não é para me promover, mesmo porque já cansei de dizer que eu não vivo PRA Umbanda e nem DA Umbanda, tenho uma formação Universalista e meu papel com a Umbanda é para a prática o amor, do auxílio e daqueles que estão em minha capacidade de ajudar.

Maktub em Árabe

Mas vejo muitos centros dessas novas escolas que repudiam a “adivinhação” o que eu acho um termo complicado, porque adivinhação pra mim é meio que um chute, é escolher uma possibilidade e lança-la ao destino, eu prefiro realmente usar o termo “projeção” para esses casos, muitas literaturas dizem que o futuro está escrito, uma expressão muito conhecida para exprimir esse fato é maktub, que vem do árabe “Estava escrito” ou “Tinha que Acontecer”.

Como alguns sabem aqui no blog, eu sofri um acidente do qual eu poderia ter morrido, e na mesma manhã, minha mulher havia me dito que estava com um péssimo pressentimento, minha mãe um dia antes, havia sonhado com acidente automobilístico (Mas havia falado apenas à minha irmã que não me deu o recado), que não era pra gente sair aquele dia, que ela queria ficar em casa e tudo mais, como a ocasião era importante e eu tinha que participar (Eu tenho essa de quando eu me comprometer, aconteça o que acontecer eu vou, porque Palavra é o que você tem de maior valor e se a mesma é quebrada, isso se perde) e acabamos indo, deixei a minha mulher em minha sofra e ao ir pra casa, sofri um acidente sério em uma rodovia do qual saí ileso. Esse é mais um fato que pode-se prever o futuro e evita-lo, sim, não acredito que tudo está escrito e existe algumas nuances do qual podemos modificar e mudar, existem linhas de destino, uma vez Ramirez me disse: “O Destino está apenas esboçado, pense em uma escrita a lápis, você tem o esboço, mas você pode apagar o esboço e recriá-lo, você pode apenas apaga-lo ou pode usar a escrita de forma que não se apague mais” e continuo acreditando piamente nisso.

Conhecimentos básicos da Quiromancia (Leitura de Mãos)

Arjuna

No livro “Caminhos para Deus” que eu indiquei aqui no blog, de Ram Dass, ele diz que o que o livro “Bhagavad Gita” (Traduzido ao pé da Letra: Canção Divina) é a essência do conhecimento védico, é ensinado através de parábolas e é um diálogo complexo entre Krishna, que é uma das encarnações de Vishnu e Arjuna, seu discípulo guerreiro em plena guerra, é uma literatura excelente para aqueles buscadores do conhecimento antigo, também é dito que existem certas tendências de acontecimentos em sua vida, existem algumas predisposições, mas você pode muda-las e sair da roda do carma. Eu mesmo já ouvi de vários mentores que o “Livre Arbítrio é Tão Sagrado que nem Deus Interfere”. Em várias filosofias orientais, inclusive as Iniciáticas no Ocidente possuem um consenso de futuro, destino, livre-arbítrio, carma e darma, que existem certas predisposições, certas tendências, a Astrologia, os Búzios, a Numerologia, as runas (Onde estou aprendendo a jogar), a Cabala, muito utilizada por muitos famosos e que foi bem disseminada por muitos, a Quiromancia como método de autoconhecimento, muito bem explicada por Eliphas Levi, os ciganos sabiam ler as mãos não para prever o futuro, mas as características da mão revelava personalidade, tendências, defeitos e isso ajudava a realizar certas previsões, por exemplo, pessoas que tem certos traços de pessoas trabalhadoras e comunicativas, tenderão a ter sucesso e certas vocações que outras que são mais introvertidas, então, as previsões eram realizadas a partir do conhecimento dos traços psicológicos e as facilidades que poderiam levar durante a vida, o Tarô vem mostrando que podem existir tendências que podem ocorrer, quando bem realizados por pessoas sérias e competentes, mostram-se excelentes ferramentas para o autoconhecimento e consequentemente, auxiliando em pequenas previsões.

Eu gosto de dizer que esses métodos divinatórios são na verdade ferramentas para autoconhecimento, você se conhecendo, sabendo suas vocações, quais suas deficiências, você consegue traçar o seu futuro e determinar certas situações e consequentemente antever circunstâncias que podem ser desfavoráveis.

Repito, estou falando de pessoas sérias que jogam com seriedade, que estudam, que possuam a mão para isso, nem todos são capazes de manipular tais energias, são apenas curiosos com o oráculo na mão, lembro-me muito daquela grande maioria que fazia previsões sobre o próximo ano no Fantástico e quase todas as previsões estavam erradas, lembro-me do vários babalaôs falando que o Brasil ganharia a copa e assim por diante, essas circunstâncias só favorecem a certeza de muitos acharem que a Umbanda não passa de charlatanismo e superstição barata.

Já tive experiências de médiuns muito firmes e que seus mentores fizeram certas previsões que vieram a acontecer, sobre relacionamentos, sobre trabalho, recentemente um conhecido estava passando por um problema financeiro e profissional, o mesmo foi se consultar com o Sr. Zé Pelintra, o mesmo além de ter mencionado onde estava determinado objeto do filho que estava perdido e que não convém dizer qual é, disse ao mesmo: Fique sossegado, o trabalho está aqui, batendo na sua porta, isso foi em uma sexta-feira, na segunda o médium foi chamado para uma entrevista e na quinta, foi empregado.

Já postei aqui no blog, o Sr. Tranca-Ruas dizendo em um trabalho que se ausentaria por duas semanas porque haveria um desencarne em massa em nosso plano e que ele seria responsável por guiar os desencarnados a seus respectivos lugares. Também presenciei a consulta com um preto-velho kimbandeiro extremamente sério que era para o filho que estava ali falando com ele, dar mais atenção a uma certa pessoa porque em seis luas o mesmo desencarnaria, passado as seis luas, eis que a pessoa em questão veio fazer a transição (Desencarnou).

Ifá: Orixá da Adivinhação na Mitologia Iorubá.

Então existem previsões bem fundadas pelos guias espirituais, obviamente isso não é obrigação daquele mentor que está ali realizando a consulta em fornecer e consequentemente, o consulente que ali adentrou não esteja no merecimento ou preparado para saber, existe uma série de variáveis.

No centro onde eu trabalhava, existia uma médium, da qual já mencionei algumas vezes aqui no blog que era garota de programa (isso quebra muitos preconceitos e paradigmas na religião, quando falam que isso atrapalha a incorporação) e ela recebia um caboclo e uma pomba-gira que o que diziam era “batata”, acontecia. A mesma mencionou a uma mulher que o primeiro amor da vida dela voltaria, e voltariam com força total, a consulente havia perdido o contato com o mesmo chegando a casar, e na ocasião da consulta, estava se separando, e em exatos 30 dias (Contrariando a maldição do “Trago seu amor em sete dias”) em um shopping ela se encontrou com o dito cujo e estão juntos até agora, a mesma médium disse a um filho para seguir um determinado caminho que ali que estava o baú de ouro, o mesmo seguiu e sua empresa prosperou.

“A Previsão de acontecimentos futuros existe, mas não é obrigação do mentor em proferir e muitas das vezes, não é do merecimento do consulente saber!”

Vejo muitas pessoas indo a centros justamente por esse fato, de quererem previsões sobre dinheiro, vida afetiva, trabalho e muitas vezes decepcionam porque não ouviram o que queriam ou deixaram de ouvir, isso é uma grande constante, muitos e-mails que eu recebo são para “resolver problemas através de previsões” e infelizmente isso está muito além de minhas capacidades, a única coisa que eu posso fazer, é um rápido mapa natal da pessoa e interpretar certos períodos da vida dele, somente isso, obviamente os mentores tem maior poder para isso, mas se fossem a todo momento prever o futuro ou ajudarem em nossas escolhas, isso prejudicaria o livre arbítrio e consequentemente, nosso aprendizado nessa feliz e infeliz jornada chamada vida.

O Futuro é mutável, ele é dirigido por cada escolha que fazemos, e cada escolha tem sua consequência, o guia espiritual pode sim ajudar a escolher entre um caminho ou outro, como já mencionei algumas circunstâncias acima, mas infelizmente não é sua principal função, ou porque hoje é difícil encontrar um médium firme capaz de realizar tal função e mediante a essa questão, se reinventaram trazendo novas atribuições às suas incorporações, por exemplo, auxiliando com palavras de consolo, resolução de questões sem interferir o livre arbítrio, com conselhos, trazendo uma outra ótica para enxergar os problemas, um passe espiritual, uma limpeza fluídica, eu diria que a previsão é um PLUS e isso só acontece em médiuns que estão realmente firmes o que é uma rara circunstância nos dias atuais.

“Importante lembrar que a partir do momento que você sabe de um acontecimento futuro, você na verdade, descobriu uma tendência para que aconteça, mas você pode mudar a partir daquele exato momento”

Mas também acredito no futuro coletivo, da tendência na humanidade em sofrer certas consequências, como por exemplo, a Bomba de Hiroshima, Holocausto, Tsunami, Maremoto, entre outros fatos que dizimaram milhões de pessoas, isso é previsível e imutável.

Por favor, não me entendam mal, não estou dizendo que sou nazista, a favor da dizimação de irmãos com bombas, genocídios, e também confesso não ter uma opinião formada sobre o assunto, a previsão do Tranca-Ruas me fez pensar que com uma semana de antecedência, já estavam se preparando para o desencarne em massa, mas também me questiono: Era um desastre natural iminente ou uma determinação do Mundo Espiritual para limpeza? Salvação? Progresso?

Creio que essa resposta podemos apenas supor, podemos apenas criar hipóteses, mas é difícil saber ao certo.

Nota: Preferi colocar os nomes traduzidos para o nosso fonema, como tarô, carma, cabala, darma ao invés de utilizar os nomes corretos para facilitar com o corretor automático.

Nota 2: Para não ficar muito extenso, desmembrarei mais artigos sobre o assunto, senão se torna cansativo demais artigo muito grande.

Lack´Ech

Neófito da Luz .’.

Entidade Incorpora em Qualquer Ocasião? (Part. II)

Saudações irmãos de senda, aqui é o neófito para mais um bate-papo sobre os assuntos corriqueiros da Umbanda.

Esse artigo, juntamente com o “Firmeza de Cabeça” é um dos mais lidos e tentarei colocar alguns relatos que corroboraram com a minha ideia no primeiro artigo, que gerou muitos conflitos de opiniões.

Existiu uma irmã aqui no blog, eu já até comentei em um artigo que eu não me lembro qual, do seu namorado sempre incorporar o seu exu, seja quando brigam, seja qualquer discussão em um bar. Com todo o respeito, me pergunto se o Mundo Espiritual anda tão tranquilo para que um mentor com tanto tempo para vir apartar um relacionamento, me questiono por que um exu desse não vai impedir algo pior? Será que não existe uma Ordem no Mundo Espiritual que previne essas intervenções fúteis? Pergunto-me onde fica o Livre Arbítrio em uma ocasião dessas… Pode ser em qualquer lugar.

Também presenciei esse mesmo fato em um dirigente aqui em Guarulhos, como convivi com ele desde pequeno, qualquer coisa que contrariava o que ele falava, ele já “virava” no Exú Caveira. O Exu vivia mais tempo na matéria dele do que o próprio médium. O que eu ficava mais admirado, isso nos meus 18 anos, é a mãe dele deixa-lo fazer tudo, seja para sair, seja para quaisquer outras ocasiões que eles precisavam. O que eu achei extremamente interessante, foi quando ele foi assaltado e o exu não apareceu para salva-lo. Estranho não?

Existem também vários casos daquelas pessoas que usam as suas entidades para que falem coisas que elas mesmas não possuem coragem, aí utilizam a entidade para falar alguma “verdade”, usam a entidade para dar alguma advertência, e isso é MUITO MAIS COMUM que imaginam, eu saí de uma casa, porque existia um Zé Pelintra que além de adorar se vangloriar com seus feitos, sejam em sua vida ou como guia espiritual, também adorava pegar um filho pra dar aquela bronca demasiada. Foi esse mesmo dirigente que quando eu parei de ir, o Zé Pelintra dele disse que me “varreu”.

Como toda religião, infelizmente convivemos com a dicotomia, com a dualidade, com a divisão do bem e do mal, isso não acontece somente nos terreiros não, existem aqueles cultos evangélicos do pastor que sai correndo tocando os fiéis e com a sua “Força Provida do Espírito Santo” vai derrubando um por um. Me questiono muito às vezes sobre a reencarnação, estamos em 2015 e ainda existem pessoas que acreditam nessas coisas? E nosso aprendizado acumulado no decorrer de nossas reencarnações? Será que não guardamos nada em nosso pré-consciente? Será que realmente viemos de outras existências?

Uma vez, estava dormindo na minha casa quando fui acordado com violência e quando fui abrir a porta, supostamente o “João Baiano” de um filho o pegou e o trouxe até à minha casa para pedir ajuda. Até onde isso é verdadeiro? Até onde é a intervenção do espírito e até onde é a necessidade inconsciente do filho afim de atenção?

Apesar de ser umbandista, sou relativamente cético com muitas situações que me chegam nos e-mails, tive também um problema com uma filha que incorporava em todo lugar, fosse na assistência, fosse no carro, fosse em qualquer lugar, estava ela “Espiritando” (Termo comum em muitas casas para incorporando), até onde é castigo do guia? Até onde isso é realmente necessário? Será que um guia que passa por toda uma escola doutrinária, todo um preparo para praticar sua missão de caridade dentro da Egrégora umbandista não teve o preparo de saber que temos uma vida fora do centro? Que isso pode prejudicar nossas relações profissionais, sociais e até mesmo familiares?

Pra você médium, que recebe em todo lugar por qualquer motivo, pra você que como me relatou já recebeu na escola, desculpem-me a sinceridade, sendo espírito ou não, isso é total descontrole de vocês, claro que ainda tenho muito o que aprender e caminhar nos degraus umbandistas, mas até então, em meus quase 20 anos de religião e sendo pai pequeno durante 6 anos, todas as vezes que eu presenciei e quando tinha realmente alguma coisa, era zombeteiro (Odeio usar esse termo, mas é o que tem pra hoje [rs]) e não um caboclo, um preto-velho, claro que EXISTEM RARAS EXCEÇÕES, alguma necessidade imperativa e emergencial do mentor ter que vir, resolver algum problema para evitar um mal maior, óbvio que existe, porque toda generalização é um erro, porém, raríssimas são as vezes que ocorrem essas necessidades sem que interfira o livre arbítrio ou o merecimento do médium, e pra você que não tem nenhuma manifestação mediúnica e mesmo assim acha que está com alguma coisa, procure uma ajuda, todos nós precisamos de ajuda e estamos suscetíveis a desiquilíbrios, todos nós passamos por isso.

Repito… Se você está incorporando em qualquer lugar, procure imediatamente uma ajuda, um auxílio espiritual, seja uma questão de ordem espiritual ou material, devem falar com um dirigente espiritual para que possam solucionar essa questão, mas repito, tentem discernir se é uma vontade, uma emoção ou uma necessidade, até mesmo uma dependência de querer incorporar como refúgio dos problemas ou como carência, às vezes temos tanto amor à entidade que a queremos sempre próximas de nós e isso pode impactar tanto na irradiação quanto na autossugestão.

E por último, mais dois relatos que eu presenciei, um exu que incorporou a sua filha e para castiga-la, enfiou o braço da mesma em um espelho que tínhamos na mesma, ela se rasgou toda e voou sangue no terreiro, sim, meus irmãos, a cena foi chocante para muitos, muitos assistentes nem voltaram com receio disso, o que prejudicou um pouco a reputação da casa e assustou até a alguns médiuns que pediram licença depois, e digo-lhes com total certeza: Não existia nenhuma manifestação mediúnica ali, não de guias espirituais, porque normalmente sentimos a vibração, mas a filha que estava passando por problemas com drogas e “sugeriu” que o exú viesse castiga-la.

O outro relato refere-se a um suposto caboclo que quando vinha rasgava a camisa independente do lugar que estivesse, o cavalo não poderia ficar nervoso e ia pra cima da pessoa. Devo mesmo comentar alguma coisa sobre esse fato? [Risos].

Minhas considerações finais para todo esse texto é simples: Mentor Espiritual tem uma vasta lista de tarefas a realizarem e mesmo para qualquer intervenção mediúnica, eles precisam da permissão de vocês. Se você recebe na escola, no trabalho, na balada ou durante o sexo, ou você ou o seu guia espiritual precisa de um tratamento, e para quaisquer um dos casos, aconselho estudar o que é a mediunidade, seja no centro kardecista, umbandista, entender o papel fundamental da mediunidade, do dom de servir e acima de tudo, do respeito, porque espírito que faz você passar por uma situação constrangedora como essas, luz não tem, e se não tem o mínimo de luz, não é guia espiritual, é apenas mais um perdido entre os dois mundos. E se você vibra com essa frequência espiritual, mais um motivo para estudar, evoluir e compreender a mediunidade. Se não é nem o mentor espiritual e nem outro espírito qualquer, mais um motivo para procurar estudar, compreender e sair dessa maré ruim, todos nós em momentos de nossas vidas somos sucumbidos à provações, expiações, temos vontade de sumir, morrer e alguns casos graves, até suicidar, porém, quando se atinge um grau de conhecimento e compreensão das coisas, sabemos que aquele velho adágio é extremamente verossímil: “Não há mal que dure para sempre e nem bem que não se acabe”.

E é isso. Leia a introdução aqui!

Mais um artigo de um cara chato mas que vale a reflexão.

Paz Profunda.

Neófito da Luz .’.

 

 

Breve Diálogo Sobre Incorporação II (Flashback)

Nome do Guia

Conforme mencionado, são muito relativos os nomes das entidades bem como o tempo em que elas se identificam se apresentam. Eu aconselho a muitos médiuns não procurarem muito sobre nomes de entidades na internet bem como suas áreas de atuação, formas de trabalho, entre outros fatores, porque infelizmente podemos ter admiração por algum, aquela vontade de querer trabalhar com ele misturar no processo anímico e na hora que sua entidade, de fato, der o nome, você pode se confundir e atrapalhar a comunicação nesse momento.

Sempre de extrema importância manterem-se distantes desse tipo de informação.

Outro fator importante é o fato de que para massagear nosso ego, o que é muito comum, queremos ter caboclos de penas até o chão, com um penacho de grande espessura como um rabo de pavão, é importante ignorar tudo isso, o meu mentor-chefe chama-se Urubatão da Guia, o mesmo não é cacique e sim pajé, e para estar na frente de outras entidades minhas que são caciques, é sinal que o nível hierárquico no outro plano, pouco importa. O Caboclo do Sol que é outro caboclo que eu servi, também nunca o vi com penacho até o chão e graças a Deus nunca deixou ninguém na mão.

Não adita ter um guia de grande Luz, de Grande Poder se o recipiente da qual ele deve trabalhar é ruim, o Sr. Tranca-Ruas costuma me dar um exemplo do copo, ele pega um copo de 500ml e um de 100ml, porém, ele deixa o de 100ml mais cheio, qual copo ao ser derrubado vai espalhar mais água no chão?

Outros também afirmam que só confiam no nome da entidade quando a mesma dá o ponto! Isso também é relativo, às vezes a entidade dá o nome na casa do qual o filho trabalha, mas não é afim com a energia da casa, então não tem o porquê dele “carimbar” com sua energia espiritual, o seu portal de evocação dentro da casa. E outra, esse negócio de ponto da entidade é muito relativo, hoje em dia é muito difícil achar um sacerdote apto a ler o ponto e confirmá-lo.

Conheço uma médium há oito anos, já presenciei excelentes trabalhos de seu marinheiro e sua caboclo e nunca, nunca deixaram o ponto e somente a cabocla se apresentou, Sra. Jurema Caçadora, mas também, nunca deixou seu ponto em lugar nenhum.

Outra coisa muito interessante para nossas mentes curiosas é ver a imagem de nossas entidades, tentem não se apegar a isso, porque quando a entidade se mostrar a você, E TODOS SÃO CAPAZES DISSO, você não a confunda com a imagem que você associou a ela em casa de imagens.

História do Guia.

Uma outra coisa que é muito comentado é a história do guia. Se o mesmo foi príncipe ou carrasco, se o mesmo foi benfeitor ou malfeitor. Obvio que é muito interessante sabermos a história daqueles que trabalhamos juntos, daqueles que estão em nossa convivência, mas nada melhor que eles mesmos lhe contar. Existe a história da falange, mas mesmo dentro da falange do Pena Branca, os guias possuem sua individualidade, seu próprio ciclo reencarnatório, sua personalidade, sua característica, então é muito melhor saber a história da sua entidade.  Um caso é o Zé Pelintra, eu já vi vários Zés e claro, tem o padrão brincalhão característico da linha, mas cada um tem a sua experiência, sua vivência e forma de trabalho, mesmo porque nenhum médium é igual e é ignorância negarmos que temos também parte da responsabilidade na comunicação.

Quantidade de Guias.

Só para concluir de fato o assunto, se a pessoa é filha de Iansã e Obaluaie, por exemplo, obviamente o forte da linha desse filho não será caboclo, e sim preto-velhos, boiadeiros e até exus. Ele pode ter dois caboclos e dez exus sem nenhum problema, claro, nem todos trabalharão com você, mas ficarão próximos e auxiliarão as entidades de trabalho em outras tarefas.

A quantidade de guias varia de acordo com a linha do médium, um filho de Oxóssi, consequentemente terão mais caboclos.

Não é um tema que precisamos estressar sobre o assunto, há médiuns que no longo de sua vida trabalha com cinco, seis caboclos e outros apenas com um ou dois. Vai depender da missão da entidade, dependerá também do patamar vibratório do qual ela está incluída, às vezes é a missão dela te acompanhar até metade da sua vida, te ajudar a amadurecer em certos aspectos ou abrir caminho para entidades de maior luz ou até mesmo ela evoluiu o suficiente para galgar novos degraus.

O que eu não gosto em muitos sacerdotes é delimitar e limitar seus médiuns pode ocorrer do médium não ser um médium padrão e o coitado já fica todo inseguro achando que é da cabeça dele.

Também tem uma lenda sobre não ter caboclos da linha de Pena Branca, Pena Verde, Pena Azul e afins repetidos. Quem cuidou muito de mim e trabalhou muito comigo foi o Sr. Pena Branca, infelizmente nunca mais o senti e comecei a sentir a presença de outro caboclo, eu vi inteiramente o cocar do caboclo e era todo Verde e uma amiga minha também o viu, logo, Sr. Pena Verde começou a estar mais ao meu lado. Já até veio algumas vezes.

É importante frisar, a pessoa pode trabalhar com um preto-velho, mas ter oito exus, a quantidade não é específica.

O Guia de Firmeza.

Todos médiuns tem o guia de firmeza, é aquele que nos sentimos mais a vontade para trabalhar e o melhor, é aquele que vem mais firme, que tem maior sintonia com nossa vibração, é aquele que chega com maior facilidade em nossa matéria e toma conta, a pessoa pode ter mais de um, obviamente e isso vai se tornando notório no decorrer do seu trabalho mediúnico. Isso independe de qual linha, isso é extremamente pessoal ao médium, tem médium que é o baiano, outros o caboclo, no meu caso, um dos meus guias de firmeza é o cigano Ramirez. É aquele guia que você se sente a vontade em trabalhar e não tem medo nenhum quando ele começa a falar, porque sabe que é aquele que faz e acontece. É importante salientar que isso não quer dizer que é porque o guia é poderoso, mas sim é o guia que você tem maior afinidade, geralmente é afinidade psíquica e vibratória.

Todos os médiuns possuem os seus guias de maior confiança, aqueles que você deixa trabalhar livremente. Também tem o fato do próprio médium se sentir bem em trabalhar com a entidade porque ela causa alegria aos filhos e assistência, quando a entidade é muito carismática, fazemos questão de trabalhar com ela porque também nos sentimos bem. É uma das graças da mediunidade consciente e semiconsciente, você também participa das atitudes de sua própria entidade.

Também tem o fator de alguns médiuns trabalharem bem com determinada linha, que eu exemplificarei no próximo assunto.

Função da Linha do Médium.

Como digo, nenhum médium é igual, os médiuns possuem predisposições mediúnicas e energéticas, existem os médiuns de cura, os médiuns de limpeza, os médiuns de consulta, os médiuns videntes, claro que podemos ter uma mistura de um ou outro, mas nenhum é 100% em todos os aspectos. Eu já percebi que meus guias trabalham muito bem com cura e cirurgia espiritual, mesmo porque, eu sou médium de cura, então tenho uma predisposição energética para que possam fazer bem o seu trabalho. Nunca presenciei guias meus fazendo mandinga com elementos, por exemplo, talvez não seja meu forte esse tipo de magia, mas também gostam muito de falar, muitas pessoas procuravam as entidades para conversar. No meu caso, eu sendo um médium de cura e de consulta, consequentemente a minha linha tende mais a esse lado, seja o caboclo, o baiano, o marinheiro, o cigano são guias com conhecimento de cura e consulta.

Existem os médiuns de limpeza, que quebram a demanda, consequentemente a função dos seus guias será mais propícia a isso.

Também tem aqueles médiuns que trabalham muito bem com qualquer exu que possam vir em sua matéria, seu guia de firmeza é o exu, como tem pessoas que são com preto-velhos, tem médiuns que para qualquer problema, é o preto-velho que assume e são com eles que esse médium trabalha muito bem. Independente de qual preto-velho, esse médium pode ter dois ou três preto-velhos muito firmes e dependendo do grau, podem vir sim em outras linhas para auxiliar em um determinado problema. Há sacerdotes que não admitem linhas cruzadas, ou seja, linha de caboclos e vir um preto-velho, já há casas que dependendo da situação, deixam com o que o médium trabalhe com o seu guia de firmeza. Vai depender única e exclusivamente da doutrina do centro.

A grande sacada é perceber a forma que seus guias trabalham para ter a devida certeza de qual é sua especialidade, suas funções e ir de cabeça nelas.

Meu irmão já é um médium que tem muitos exus, fazem trabalhos extremamente densos e telúricos, depois de um trabalho pesado, ele fica muito bem, fica tranquilo, quando certas entidades minhas trabalham com isso, eu absorvo um pouco e não fico tão bem. Claro que é algo que eu posso evoluir e aprender, mas não é a “minha praia”.

Então meus queridos, vocês possuem funções predeterminadas dentro do terreiro, tem médium que é uma PAREDE, é blindado, são os que podem ficar na porteira protegendo a casa, tem os de transporte, que possuem grande facilidade em dar passagens a eguns e outros espíritos que atrapalham de certa forma a vida de alguém, apesar de eu, ser totalmente contra o processo de desobsessão.

Comunicação.

Algo que eu ouço muito no blog é: Como você consegue ouvir? Como você consegue ver? Como eu faço isso?

Mais uma vez eu digo, todos os procedimentos eu compartilhei no “Firmeza de Cabeça”, todos os médiuns, claro, alguns precisam de maior dedicação e outros menos, mas todos nós, mediadores do plano espiritual e terrestre podemos sim, ouvir, vê-los, senti-los.

No caso da vidência, ela se dá de forma gradativa, primeiramente é esboçada uma pequena imagem em sua cabeça, e isso podem durar meses ou anos, você vê fragmentos em seu consciente, é como se imaginassem e na verdade não é imaginação, é o despertar da consciência espiritual que está se fazendo presente.

Você começa a “imaginar” como é o guia, começa a vir informações em sua cabeça e através dessas informações, você começa a projetar a imagem, gradativamente isso vai evoluindo até você conseguir vê-lo materializado em sua frente.

Repito, tem pessoas que já possuem essa predisposição, já nasce com isso nativo, mas nada impede que possamos aprender, evoluir e adquirir essa faculdade, todos nós somos animados pela mesma energia, a Energia Divina, então, em essência, somos TODOS IGUAIS, ou como diz um site que eu gosto muito, SOMOS TODOS UM.

O mesmo ocorre para a audição, para o olfato.

Toda faculdade para ser evoluída depende única e exclusivamente de nossa dedicação, claro, vida noturna, bebidas e mulheres, conforme falei no primeiro post desse ano, degrada e atrasa totalmente suas faculdades mediúnicas, é muita energia que você tem que lidar e prejudica totalmente a sua vibração com a Energia Cósmica, por isso, sempre bom andarmos na linha.

Eu ainda estou em desenvolvimento, sinto saudades do Neófito de 2010 que tinha resposta pra tudo, hoje as coisas estão mais difíceis, mas se já cheguei a um certo ponto, posso chegar novamente, assim como todos nós.

In Lak’ech (Yucatec Maia) – Uma Saudação que significa: Você é o meu outro Eu.

Neófito da Luz.

Parte I: http://wp.me/p59fhC-kN

Breve Diálogo Sobre Incorporação I (Flashback)

Depois de algumas semanas de trabalho intenso, falta de tempo para revisar e compilar os textos e questões que me enviaram, aqui estou eu.

Depois de ter deixado meu e-mail no blog, recebi diversas perguntas sobre Umbanda, e calculando com um pouco de exatidão, 95% se resumiu em incorporação e liturgia. Baseado em diversas questões que foram bem parecidas, realizei um compilado aqui para expor a minha opinião sobre o assunto.

Vale salientar que eu irei expor minha opinião baseado em quase 15 anos de Umbanda, estudos e experiências, segundo o tempo de alguns irmãos, ainda estou engatinhando, tem irmãos com 25, 30 anos de experiência.

O grande incômodo dos mediuns é o nível de consciência.

Eu até hoje não conheci nenhum medium inconsciente, como já disse em alguns posts, todos os que me disseram ser, tive provas extremamente contrárias a isso, mesmo porque em termos de estudos filosóficos, místicos e esotéricos é praticamente impossível nos dias de hoje estarmos inconscientes, volto ao exemplo de iogues e outros místicos que podem meditar até por 12h e afirmam que sua mente objetiva ainda ficam em nosso plano, em nosso mundo, imagine nós, que temos apenas algumas horas semanais de dedicação ao centro.

Recebi um e-mail relativamente ofensivo que sobre o texto “Firmeza de Cabeça” onde afirmam que eu ensino a dar ekê (Gíria do candomblé para fingir uma incorporação), até respeito a opinião do irmão que me criticou, mas é muito fácil ser inconsciente no candomblé, o adepto só recebe o orixá, que só sabe vir pra dançar e falar algo útil que é bom, NADA! Muito fácil se dizer inconsciente no candomblé onde o orixá só precisa ter o famoso “pé-de-dança” que enche os olhos e o estômago mas não cala as aflições daqueles que ali adentram. Já conheci mediuns conscientes que curaram e até falaram o que o consulente precisavam ouvir, ou seja, ENFATIZO, mais vale o seu desprendimento na comunicação, na psicofonia (incorporação) do que o seu grau de consciência. Desistam de procurar o impossível, muitos mediuns perdem totalmente seu tempo procurando serem inconscientes e esquecem de estudar e trabalhar com o que tem. Na faculdade ouvi algo que eu nunca me esqueço, uma história que cabe muito bem com o que eu direi aqui:

“Na órbita espacial, era imprescindível escrever as rotas, o diário de bordo, entre outras coisas, os americanos investiram boa quantia de dinheiro para inventar uma caneta que escrevesse mesmo na ausência da gravidade, os russos, por sua vez, levaram lápis, onde o mesmo conseguiu cumprir o objetivo que era a escrita!”

Ou seja, meus irmãos, se o objetivo é a caridade, vamos procurar meios para isso e não desgastar centenas de horas focando algo que demandaria trabalho e poderia ser mais utilmente empregado na prática do bem e da caridade.

Repito, conheço mediuns conscientes que fizeram um excelente trabalho, que deram uma excelente consulta, a grande sacada é esquecermos de qualquer problema, focarmos apenas no nosso objetivo dentro do terreiro, a prática do bem e da caridade, cabe somente ao pai julgar e a nós ajudar, como disse muito bem Pai Guiné.

É claro, seria maravilhoso, incorporar, sumir, dormir, apagar e o guia trabalhar normalmente ajudando sem nossa intervenção e quando acordássemos, tudo resolvido, mas infelizmente não é assim e há algumas razões para isso. Eu mesmo já presenciei muitas coisas maravilhosas, com os “olhos” deles e isso é muito gratificante, já coloquei em um post no “Exú na Linha de Cura”.

O Guia não fala, não fuma, não bebe

No começo vemos tudo mesmo quando os guias não estão de olhos fechados, raramente falam, só gesticulam com a cabeça e gradativamente vão falando, vão trabalhando, no começo, raramente pedem bebidas ou fumos, dispensam qualquer oferecimento dos cambones, isso é totalmente natural.

Como um irmão disse: Meu guia parece inválido, não faz nada, às vezes nem anda.

Isso é muito bom, é um grande respeito que o mesmo tem para com você, ainda está se conectando ao seu corpo, vibrando na mesma ressonância que você, não abrir os olhos, também é o caso do próprio medium sentir vergonha em achar que está fingindo, isso é um mecanismo de defesa inerente ao todos os que estão desenvolvendo, mas é importante salientar que ALI já existe uma energia, mesmo que pouca, já existe uma energia e essa energia deve ser respeitada como a de um medium de 50 anos… A energia está ali, mesmo que incompleta, precisamos ser bons recepientes para que possamos captar com maior poder essa energia que nos anima, que nos irradia.

O caso de dispensar fumos e bebidas é justamente o mesmo princípio, a entidade ainda não está firme em sua matéria, ou seja, qualquer dano que possa ser causado pelo fumo e bebida afetará diretamente a sua matéria. Como forma de respeito e mecanismo de defesa, a entidade também veta a utilização desses elementos.

Em suma, você verá mesmo, o seu guia ficará calado, às vezes ele vai andar de um lado para o outro ou às vezes ficará parado, depende da forma que ele sincroniza e dispersa a energia, isso vai depender unica e exclusivamente do axé que você e suas entidades trazem. No meu caso, meus guias raramente sentavam e ficavam de um lado para o outro, no caso do meu irmão, ficavam parados e geralmente próximos à porteira.

Existem sim alguns padrões pre-estabelecidos, mas é importante salientar que nem todos os mediuns são iguais, assim como seus orixás e guias.

O desenvolvimento é uma experiência extremamente particular e deve ser vivenciada com calma, sempre interessante contar com a intuição e seguir alguns conselhos do “Firmeza de Cabeça”

Nome do Guia

Às vezes demoram dar os nomes, podem vir de uma forma e gradativamente vão mudando, vão encontrando melhores formas de posicionar e sincronizar os nossos chakras, com o tempo podem mudando a voz, o sotaque e assim vão evoluindo no sincronismo entre espírito e matéria.

Os caboclos e boiadeiros também podem mudar a forma de chegar, mudando os brados ou até mesmo a postura de chegada e saudação ao altar, tudo no Universo evolui e nossa incorporação não foge à regra. O Sol nasce pra todos, ninguém fica sem brilhar, assim é a mediunidade se mantivermos total dedicação.

Não sou nenhuma exceção, hoje consigo ouvir, sentir e até ver não com tanta facilidade, mas consigo, isso é fruto de dedicação e empenho, sejam sinceros de coração e confiem em suas intuições.

Alguns guias demoram anos para dar os nomes, outros meses, outros semanas, também é muito relativo, conheço mediuns que já trabalham com certas entidades há 3, 4 anos e ainda não deram o nome.

Como eu digo e já seguindo a Teoria de um grande Cientista chamado Einstein: Tudo é Relativo!

O meu mentor-chefe demorou quase 10 anos para se apresentar, vinha raramente, quando vinha, fazia seu trabalho e ia embora, o meu guardião-chefe seguiu o mesmo padrão e depois confirmei o nome dele nos buzios do babalaô da época.

Quantidade de Guias

Outro tema extremamente estressado nos questionamentos, muito se ouve dizer que cada um tem sete guias, eu já discordo um pouco dessa afirmação, dependendo dos orixás que você traz, significa que você tem um certo tipo de Axé e consequentemente uma missão, tem pessoas que trabalham com o mesmo caboclo a vida toda, raramente chegando a incorporar o segundo. Outros mediuns trabalham muito bem com um ou dois caboclos dependendo do trabalho e outros também trabalham com um terceiro que raramente dá o sinal de vida. O mesmo acontece com outras entidades, já vi mediuns muito firmes trabalhandio até com o quarto caboclo, obviamente não ocorre um rodízio, são entidades que chegam uma ou duas vezes ao ano. Mas é importante salientar aqui que não há regras, um sacerdote que eu conheci, trabalhou até com cinco baianos no decorrer da vida dele. Isso vai dependendo muito do tipo de missão que você veio prestar no plano terrestre, o Cosmico designa as entidades certas para isso. Tem pessoas que tem missão de abrir uma casa, possuem até oito ou nove exús, que descem, dão o nome para firmeza e para construção da tronqueira e não precisam mais dar a comunicação em nossa matéria.

Para não ficar muito extenso, vou dividir em mais posts.

Desculpem-me a demora, criança pequena, excesso de trabalho e relacionamento me ocupam grande tempo! Rs

Ainda não revisei como gostaria, mas precisei “despachar” logo o texto pelos pedidos!

Aranauam

Neófito da Luz

Sobre a Incorporação…

Saudações amados irmãos…

Desculpem-me a correria e não pude deseja-los um “Feliz Natal”. Sinceramente eu não sou muito chegado a essa data, por isso, muitas vezes acabo esquecendo, não sou muito contagiado por essa data capitalista e consumista e não preciso de um dia específico para estar e louvar a minha família!

Mas focando no título do post, vou fazer um pequeno compilado sobre as perguntas que eu mais recebo sobre esse assunto:

Quando serei inconsciente de verdade como meu “pai-de-santo”?

Nunca! [Risos]. Como muitos aqui sabem, ninguém nunca conseguiu me provar estar totalmente inconsciente sobre a incorporação, existe uma cultura ANCESTRAL e ANTEPASSADA que somente a incorporação inconsciente é a correta e que somente médiuns feitos são capazes de consegui-la. Eu digo com total veemência: BALELA! Se existe um médium inconsciente, eu não conheci e todos os que o disseram ser, provou-se ser uma falácia, inclusive, meus sacerdotes diziam-se não lembrar de nada e vira e mexe soltavam alguma circunstância que ocorreu durante a sua “inconsciência”. Se esse tipo de mediunidade ainda existe, o que eu duvido com todas as forças, gostaria de presenciá-la.

Portanto, meu querido irmão, a probabilidade de você ser um médium consciente é a mesma de você poder flutuar com algum guia em sua matéria.

Por que você prefere usar o termo psicofonia a incorporação?

Assim como acredito que dois corpos não ocupam o mesmo espaço, dois espíritos não ocupam o mesmo corpo, o que ocorre é uma irradiação do espírito que quer realizar a comunicação com o seu corpo espiritual, permitindo utilizar de suas cordas vocais, suas funções motoras e até mesmo o seu conhecimento armazenado em seu cérebro, ocorre uma sinergia, uma acoplagem do corpo espiritual do espírito (ou chacras, ou como queiram) com os seus, ocorrendo esse sincronismo energético para a realização dos trabalhos. Portanto, incorporação é um termo já consagrado porém erroneamente utilizado.

Como posso diferenciar o Animismo da Mistificação?

Você pode adquirir essas informações nesse post: http://wp.me/p59fhC-hx

O que viria a ser a Mistificação?

Conforme o post mencionado anteriormente, mistificação é o ato de “fingir” estar com alguma entidade, mentor ou quaisquer denominações que queiram atribuir, muitos utilizam desse fato para proveito próprio para satisfazer a sua vaidade exacerbada, consequentemente a essas atitudes, os mentores vão se afastando dando espaço para kiumbas e outros espíritos de classes inferiores.

E antes que me venham dizer que existem os exús para proteger eu vos digo, existem os exús para cumprirem a Lei Cármica, existem os Exús da Lei e que respeitam o livre arbítrio e acima de tudo, a Lei da Causa e Efeito, LEDO ENGANO, achar que poderão utilizar em vão vossos mentores e escaparem ilesos da Justiça Astral.

Com isso, existe a incorporação longe? Fraca? Inconfiável?

CLARAMENTE. Recentemente tive um caso muito complicado, de uma pomba-gira da “amiga” da minha mulher dizer-lhe que eu estava traindo-a e saindo com outras mulheres, não obstante, ainda proferiu diversas mentiras a respeito de certos fatos que a minha própria esposa imediatamente atestou que os argumentos eram inverossímeis. Eu só disse à minha mulher, que é iniciante no tocante espiritual, uma simples frase: “O que esperar de uma pomba-gira que te chama de puta para conversar?” Independente se ali é ou não uma pomba-gira, existe o fator do médium poder passar à frente na incorporação, ser uma pomba-gira ainda em começo de jornada mediúnica ou não ter absolutamente nada ali!!!

O que mais podemos presenciar nos terreiros são guias proferindo palavras ignóbeis, de baixo teor agregável, muitos mais perguntam que respondem, e são pessoas que conscientes ou não, exponenciam o preconceito demasiado da religião e a incredulidade de muitos, inclusive a minha que eventualmente coloco a prova.

E para os médiuns mais velhos, não achem que estão livres disso que não estão, por mais que sejamos médiuns mais experientes, mais velhos, estamos sujeitos às mazelas da carne e com isso, contribuímos para o afastamento dos amigos espirituais ou até mesmo a dessincronização com a energia espiritual e, consequentemente quebramos a nossa vibração com o Altíssimo permitindo acessarmos espíritos de baixa vibração e rompendo com os laços dos espíritos mais evoluídos.

Por isso, sempre enfatizo, sejam médiuns fora do terreiro e como o Sete Encruzilhas sempre me lembra, não existe médium desenvolvido justamente por ainda sermos imperfeitos!

Existem médiuns desenvolvidos?

Não, existem médiuns que alcançaram maiores estágios na escada evolutiva, porém, todos nós somos aprendizes e estamos sempre aprendendo, evoluindo, quando alcançamos um estágio e achamos que concluímos, aparecem mais três para superar, assim é a constante evolução espiritual!

Existem médiuns melhores e piores?

Infelizmente é um assunto complicado para se tocar, mas é impossível negarmos a eficiência de trabalho de certos médiuns e o total despreparo de outros, meu cigano, Ramirez diz que “O Pequeno e o Grande só existem quando vistos de uma mente limitada!”. Concordo e discordo dele, no tocante concordo, realmente quando tentamos olhar com certos olhos, com os olhos espirituais, os olhos do amor, realmente somos todos iguais porque somos animados por uma mesma fonte de energia, mas infelizmente, em uma mesma casa, temos lâmpadas de maiores e menores potências, assim também ocorre com nossos corpos materiais e espirituais.

Todos nós temos um grau evolutivo, uma determinada missão na Terra, uma limitação, e a mediunidade não fugiria disso. Existem os médiuns que não ESTUDAM NADA, mas dão a comunicação com ilibada maestria, existem médiuns que devoram os livros e utilizam para fins egoístas, vivendo disso, entre outros fins, portanto, não existe uma receita de bolo, o melhor médium é aquele que tem sabedoria, não adianta ser totalmente ignorante e nem totalmente sábio, porque existem outras variáveis, como caráter e dedicação que fazem toda a diferença. Repito, conheci médiuns que mal sabiam ler, mas sua comunicação era perfeita, guias extremamente precisos, como conheci médiuns que cursaram inclusive a faculdade de Umbanda e eram ruins, má comunicação com os mentores, imprecisão nas palavras, trabalhos de cura pouco eficazes.

E uma outra coisa que é importante mencionar, não adianta sua linha só ter cacique e reis do inferno se o recipiente e o canal que criam para eles é medíocre, é egoísta e limitado, muito melhor um médium ter guias talvez no meio para o baixo termo e ter sua mente focada e seu coração limpo, no final, é o médium que fará toda a diferença. Não adianta querer chegar de avião se não sabe pilotar. Fica aí a parábola da tartaruga e a lebre para ilustrar essa ideia. Ou uma que faz todo o sentido:

  • “Não deis aos cães as coisas santas, nem deiteis aos porcos as vossas pérolas, para que não suceda de que eles as pisem com os pés e que, voltando-se contra vós, vos dilacerem.” — Bíblia, Novo Testamento, Livro de Mateus, Capítulo 7, versículo 6.

Quando estou incorporado, é normal tossir? Espirrar?

Este é um outro assunto extremamente polêmico, cada escola de Umbanda diz uma coisa.

Eu, aprendi que quando uma entidade tosse ou espirra, quer dizer que a incorporação não está tão firme, o que não denigre a veracidade daquela comunicação. Eu particularmente, já vi guias tossirem, espirrarem, se coçarem e realizarem bons trabalhos. Outros sacerdotes afirmam que a comunicação não está firme e muitas casas recomendam o guia subir para descer mais firme.

Eu particularmente sempre digo, que muitas vezes você pode passar à frente da incorporação, mas você mesmo pode trazer de volta a força dele para sua mente objetiva, isso vai depender da união e do sincronismo que você tem com ele, por isso, é sempre importante seguir alguns conselhos do post “Firmeza de Cabeça” que você pode ler aqui.

Eu particularmente não condeno, mas infelizmente tenho aquela base lá atrás que me deixa com o pé atrás, porém, como disse, há sempre a chance do médium se recuperar daquele momento e prosseguir com um bom trabalho durante a gira.

Então serei sempre consciente?

Feliz ou infelizmente, a espiritualidade tem os seus planos, hoje não é necessário mais a incorporação inconsciente porque a Umbanda já deixou seu legado em seus 100 anos, então não é mais necessária ficarmos inconscientes, já que temos uma imensidão de locais para realizar as pesquisas a respeito de vários assuntos dentro da Umbanda.

Existem posts no blog que serão mais claros e exemplificarão melhor esse processo!

Podemos acreditar em consultas realizadas pela internet ou telefone?

Sim! Se criou um mito de achar que os guias são primitivos, sim, existe muito esse mito, o guia não saber o dia da semana, o guia não poder te chamar pelo nome, muitas casas julgam isso como marmotagem, eu particularmente, acredito que se eles estão entre nós, e qualquer ignorante pode aprender a nossa cultura, pode aprender nomes de meses, dias da semana, porque não eles que estão em uma camada superior à nossa?

Acho que quando é para realizar a consulta, não existem meios, mesmo porque, indubitavelmente toda evolução, avanço tecnológico que temos, parte com permissão do Mundo Espiritual, e a Internet atraiu ainda mais pessoas de diferentes regiões e semelhantes vibrações. Aqui mesmo no blog já fiz amigos, já fiz consultas pelo Skype, pelo Whatsapp. Isso não significa que eu dou a comunicação (incorporação) e eles digitam em meu notebook ou celular, e sim que eles “encostam” e dão o devido recado para que eu possa auxiliar um irmão necessitado.

Também é importante salientar que isso não acontece 24h, talvez a pessoa esteja no seu merecimento e o recado é passado, como também, já atendi pessoas aqui do blog em reuniões particulares que costumo fazer em locais privados.

Portanto, eu mesmo sou prova que esse tipo de consulta pode ser eficiente e de extrema ajuda para os que necessitam.

Pode ocorrer a necessidade fisiológica durante a incorporação?

Normalmente, as nossas funções fisiológicas continuam ativas durante a incorporação, porém, o mentor consegue controlar essas necessidades, eu mesmo, já tive uma grande disfunção intestinal e tive que ir ao centro, durante os trabalhos, a vontade praticamente cessou, não senti absolutamente nada, depois, senti algumas dores abdominais, mas me ajudaram a cessar essa indisponibilidade intestinal. Portanto, não é incomum isso acontecer, vai depender de como você está sincronizado, acoplado ou até mesmo incorporado com o seu guia durante os trabalhos.

Como me tornar um médium melhor?

Sua conduta de vida diz muito quem você é, e obviamente, isso vai impactar em sua vibração espiritual, existe aquela máxima de “Semelhante atrai semelhante”, não pense que você está acima do bem e do mal, dependendo da sua conduta de vida, independente dos seus vícios, a prestação de contas é inevitável e irrevogável, portanto, sua conduta, seus atos, o controle de suas mazelas, o foco em sua jornada, a força de vontade são pontos preponderantes que determinam seu grau de mediunidade, sua força e consequentemente seu trabalho dentro do terreiro.

Não adianta ficar 21 dias no quartinho, rasgar o corpo todo, tomar 500 banhos de ervas e sua forma-pensamento, sua vibração espiritual, sua conduta de vida é duvidosa. Lembrem-se, somos aquilo que pensamos e atraímos em igual proporção.

Uma garota de programa ou qualquer pessoa que tem uma forma de trabalho julgada ilícita pela sociedade pode trabalhar?

Esse é um tema extremamente delicado do qual discuto muito com um dos poucos irmãos que confio totalmente no meio Umbandista. Quando eu fui pai pequeno, havia uma médium que descobrimos ser uma garota de programa, e seus trabalhos eram impecáveis, sua conduta de vida dentro do terreiro, seu trabalho bem realizado como médium era inquestionável.

Esse mesmo irmão Robson, também já teve uma circunstância idêntica, a irmã era uma excelente médium, mas ele disse que como ela não seguia a cartilha da casa que era a conduta ilibada de vida, ele a convidou a se retirar.

Pai Guiné tem uma máxima que diz: Cabe a nós ajudar e ao pai julgar!

Eu acredito que a pena é a mesma para todos, mas existem pessoas com predisposição, existem médiuns que podem ficar a vida toda sem trabalhar e não tem a cobrança, outros, quando se ausentam meses, a espiritualidade já cobra!

É impossível CATEGORIZAR e ROTULAR cada ato com sua consequência, todos nós temos um histórico espiritual que nos fornece crédito ou débito.

Não tenho uma opinião formada, mas como disse acima, se era uma excelente médium, os guias realizavam trabalhos impecáveis, quem sou eu para julgar e dizer que é errado se os seus próprios mentores traziam força e caridade para a corrente?

Mas Neófito, você não disse que nossa conduta fora da casa determina nossa firmeza como médiuns?

Sim, mas também disse que todos nós temos um histórico espiritual e que vai determinar qual será a nossa pena para nossos atos, do mesmo jeito que existem pessoas que fumam exacerbadamente e morrem “saudáveis” e outros que pararam e morrem de enfisema pulmonar ou outros malefícios causados pelo fumo! Nem todos somos iguais e nem tampouco com a mesma bagagem espiritual!

Como obter conhecimento dos guias?

Simples… Meditação, Dedicação, velas, incensos, tranquilidade na alma. Sejam puros, ou tentem o seu máximo, e acima de tudo, acreditem em si mesmos.

Escolham com quem andam, vibrem sempre positivo, tenham amor aos seus mentores, pois sempre digo, são seus amigos de jornada, amigos das mesmas escolas que você, seja bons recipientes para que estejam preparados para receber todo o bálsamo da sabedoria espiritual.

É normal no começo nos espelharmos nas pessoas, naqueles que respeitamos, mas chega um momento, que a jornada deve ser realizada sozinha, para o seu interior, com você mesmo. Existem vários meios de atingirmos um norte, cursos, palestras, blogs, mas chega um momento que você deve olhar pra si mesmo e encontrar a sua Verdade! A sua pode ser diferente ou igual à minha, podemos ser ou não da mesma escola, trabalhar com a mesma corrente espiritual. Quem sabe?

 Continuarei post na próxima oportunidade para não ficar muito extenso.

Neófito da Luz

Chakras Secundários e sua Relação com a Incorporação

De cada chakra principal, partem algumas correntes (nádís) para distribuir o prána pelos chakras secundários. Há um número indeterminado de chakras secundários no corpo humano. Só nas palmas das mãos temos cerca de 35 em cada. Assim, quando procedemos aos mantras, marcando o ritmo com palmas, estamos estimulando nada menos que 70 pequenos chakras através do atrito. O atrito gera energia térmica e eletricidade estática, manifestações de prána.
Os Chakras secundários dependem dos principais , o mesmo é dizer que se um Chacra principal estiver desequilibrado os seus chacras secundários correspondentes também estão em desequilíbrio
Vejamos alguns dos “principais” chakras secundários
 

Chakra Umeral:

Fica nas costas, na altura da omoplata esquerda (entre e sobre o pulmão esquerdo. É o chakra espiritual, pois através dele que as energias se conectam. É o chakra mediúnico e de proteção, porque equilibra as energias positivas e negativas em excesso. É um gerenciador energético. É através dele que recebemos, em primeiro lugar, todos os contatos espirituais. É composto de 02 hélices ou pétalas que giram no sentido horário quando captam energias (incorporação) e no anti-horário quanto repelem energias (desincorporação). Tem coloração variável, mas o azul claro e o verde são predominantes. Oscila entre as outras matizes de acordo com a energia que está sendo captada.
Esse é um chakra extremamente importante para avaliarmos se estamos com algum problema espiritual. Ele mantém a nossa individualidade e depende do desenvolvimento do chakra do plexo solar, ou seja, da proteção do baço. Ele rege todas as energias que habitam o nosso espaço e as organiza.
Ele também processa as energias do ambiente e, filtra as energias densas que transitam no nosso campo energético. Quanto mais percebemos e desenvolvemos as nossas qualidades vibratórias, mais estaremos trabalhando o chakra umeral. Em uma leitura energética ele serve como um parâmetro para que possamos entender se o paciente está com algum tipo de contaminação energética.

Basicamente esse chakra se desarmoniza por três fatores:

  1. vivência de padrões pessimistas, negativos e derrotistas. Por exemplo: “tudo na vida para mim é difícil”, ou “esse tipo de coisa só acontece comigo”, “eu não mereço isso”, “eu não tenho capacidade para realizar essa tarefa”, etc.
  2. quando a pessoa está tão desarmonizada (buracos áuricos), que acaba ficando exposta, vulnerável à energia dos ambientes ou pessoas com que se encontra, em que haja uma vibração não muito boa.
  3. por energias intrusas ou espíritos obsessores. É importante que saibamos diferenciar quando uma desarmonia espiritual está relacionada com o chakra coronário que é por onde recebemos a energia cósmica ou com o umeral que conta o grau de vulnerabilidade que o paciente está em relação a energias negativas

Chakras das Mãos:

Localizados na região central das palmas das mãos. Caracterizados por estarem numa região terminal do corpo, denotam ponto de entrada ou escape de energia. São os chakras de ativação mais fácil e seguro, sendo que sua ativação permite o desenvolvimento da capacidade de sentir energias sutis e também de sentir a aura. Manipulação energética. São pontos de entrada ou escape de energia.

Descrição Detalhada:

Localização: palmas das mãos.
Sem cor específica.
Este chakra tem um papel à parte.
Tem a mesma característica do cristal branco: aciona ou desativa energia.
O chakra das mãos é um veículo direto através do qual as Forças Cósmicas operam.
Interferimos apenas para intuir e acionar a ordem que deve ser dada em cada caso.
Para carregar este chakra com a energia cósmica, basta esfregar as palmas das mãos uma na outra. Este é o gesto básico, primeiro, de qualquer trabalho de energização.

No momento em que fazemos isto, sentimos um calor ou um formigamento no lugar onde esfregamos. Isso significa que captamos as partículas de energia do ar, aglutinando-as e transformando-as numa onda, como um raio laser.

Uma vez carregadas as mãos (durante uma energização devemos carregá-las quantas vezes acharmos necessário), vamos usá-las de inúmeras maneiras, conforme a necessidade do momento.
O passe magnético ou massagem energética pode ser aplicado nas mais variadas situações: podemos passar as mãos ao longo e acima do corpo de uma pessoa, para captar seus circuitos bloqueados e desbloqueá-los.
Podemos carregar as mãos e jogar uma energia de ativação ou desativação, pedindo, por exemplo, a cor verde sobre alguém que esteja com febre.
Tanto podemos usar este gesto de uma maneira generalizada, buscando o bem-estar do outro, ou o nosso próprio, como podemos especificar o uso.
Por exemplo: para tirar uma dor, aliviar uma angústia, fazer um pedido.
Nesse caso, basta acoplar ao gesto de energização uma ordem mental, a que ocorrer, a que parecer mais indicada. Virá intuitivamente.
Podemos jogar energia positiva no ambiente.
Podemos utilizar esse gesto simples de esfregar as mãos para captar energia para nosso próprio alimento ou para alimentar outra pessoa.
EXEMPLO DE EXERCÍCIO COM O CHAKRA DAS MÃOS
Energização da água
Encha um copo com água.
Esfregue as palmas das mãos.
Conecte-se à Fonte.
Coloque a mão direita, com a palma para baixo, acima do copo.
Posicione a mão esquerda com a palma para cima.
A mão esquerda “puxa” a energia e a direita a transmite à água.
Mentalize para que você deseja energizar a água.
Exemplo:
“Energizo esta água para que me proteja de todas as energias mal qualificadas”
ou
“Energizo esta água para que me dê energia, saúde, bem-estar” etc.
Permaneça mentalizando e com as mãos posicionadas o tempo que julgar necessário. Você deve procurar “sentir” quando o exercício terminou. Beba a água.
Usando o mesmo processo, podemos energizar o que quisermos: comida, roupa, perfume etc.
Não esqueça: quando for energizar alguma coisa para outra pessoa, peça licença à Lei Universal e à Divina Presença Eu Sou dessa pessoa, evitando fazer pedidos muito específicos, a não ser que se trate de curar uma dor, um sentimento de angústia etc., pois você não sabe as reais necessidades dela.
NOTA: Sempre que trabalhar com as mãos para outra pessoa, lave-as muito bem com água e sabão, após o exercício. Isso libera você da energia que não é sua.

Chakras dos Pés:

Localizado nas solas dos pés, sua finalidade é descarregar energia elétrica (estática) gerada pelo corpo físico (Um dos pés a energia é aferente = Conduz de fora para dentro. No outro é eferente = Conduz de Dentro para fora), como também a absorção prânica. Aterramento. Relação com a Mãe Terra. Estabilidade em geral.

Chakra do Joelho:

Atua como um transformador, regulando a quantidade de corrente que deve entrar no corpo. Aprendendo e ensinando. Flexibilidade em lidar com grandes quantidades de energia.

Os Chakras do Bico do Peito:

Nutrição/Responsabilidade – Posição: Bicos do Peito: Esses chakras organizam energias que são relacionadas com a nossa nutrição – em todos os níveis possíveis – e a nutrição das pessoas das quais gostamos. Também organiza a maneira com que lidamos com a responsabilidade.

Os Chakras Yin/Yang (ombros):

Posição: No centro de cada ombro. A energia é direcionada para o céu. No ombro direito fica o Chakra Yang. No ombro esquerdo fica o Chakra Yin.O Chakra Yang organiza o 1º, 3º e 5º chakras principais. O Chakra Yin organiza o 2º, 4º e 6º chakras principais.
Os Chakras Yin/Yang trabalham com os respectivos chakras principais relacionados acima, de forma semelhante àquela com a qual o 7º chakra trabalha com todos os chakras principais.
Os Chakras dos Tornozelos:
A flexibilidade de ficar centrado durante mudanças na vida. Flexibilidade em como ganhar a vida.

O Pa Kua Superior:

Organiza o fluxo de energia para o tórax, ombros, braços, pescoço e cabeça.

O Pa Kua Inferior:

Organiza o fluxo de energia para as pernas, pélvis, espinha em geral e barriga.

Chakra do Timo e Alta Major

O chakra do timo é associado com a energia crística (situa-se entre o chakra cardíaco e o laríngeo); e o “alta major” é associado com a canalização (situa-se na parte de trás das nossas cabeças, abaixo da nossa região occipital).”

Chakra Void

“Cercando os chakras: umbilical e o plexo solar, está o Void que representa o princípio do mestre dentro de nós. Quando a Kundalini é despertada e passa através do Void, esse princípio do mestre é estabelecido:
“Assim, como diz Shri Mataji, na Sahaja Yoga, você se torna seu próprio guru. É capaz de se livrar de tudo que o escraviza, tornando-se o seu próprio mestre.”

Câmara Secreta do Coração

“Este é o Chakra Secreto ligado ao oitavo raio, ele tem oito pétalas, situa-se atrás do chakra do coração. Este é o lugar sagrado de Deus no homem, é aqui que se encontra o altar secreto do nosso Santo Cristo Pessoal. Neste altar podemos colocar tudo o que nos é mais sagrado como uma espada de luz ou um manto da invisibilidade.”

Chakra do Diafragma

Situa-se entre os chakras: cardíaco e plexo solar. Por estar relacionado ao plexo solar, está intimamente ligado às emoções, sendo assim, ele atua no equilíbrio das energias irradiadas e recebidas para os outros chakras. Fica no centro do peito, na linha dos mamilos e através dele podemos eliminar muito do lixo kármico que nos impede de atingir nossos objetivos.

fonte: http://www.mestresascensos.com/2011/06/chakras-secundarios.html