As Previsões na Umbanda

Saudações prezados irmãos de Senda, um cordial Saravá a todos.

Esse é um tema extremamente polêmico para muitos irmãos de senda, muitos centros repudiam ostensivamente a “Adivinhação”, outros fazem dezenas de previsões infundadas que acabam comprometendo a reputação da religião e consequentemente a degradação da casa. Por isso, estudei muito o taoísmo, mesmo sendo difícil, prefiro o caminho do meio. Queria dizer aqui que esse artigo não é para me promover, mesmo porque já cansei de dizer que eu não vivo PRA Umbanda e nem DA Umbanda, tenho uma formação Universalista e meu papel com a Umbanda é para a prática o amor, do auxílio e daqueles que estão em minha capacidade de ajudar.

Maktub em Árabe

Mas vejo muitos centros dessas novas escolas que repudiam a “adivinhação” o que eu acho um termo complicado, porque adivinhação pra mim é meio que um chute, é escolher uma possibilidade e lança-la ao destino, eu prefiro realmente usar o termo “projeção” para esses casos, muitas literaturas dizem que o futuro está escrito, uma expressão muito conhecida para exprimir esse fato é maktub, que vem do árabe “Estava escrito” ou “Tinha que Acontecer”.

Como alguns sabem aqui no blog, eu sofri um acidente do qual eu poderia ter morrido, e na mesma manhã, minha mulher havia me dito que estava com um péssimo pressentimento, minha mãe um dia antes, havia sonhado com acidente automobilístico (Mas havia falado apenas à minha irmã que não me deu o recado), que não era pra gente sair aquele dia, que ela queria ficar em casa e tudo mais, como a ocasião era importante e eu tinha que participar (Eu tenho essa de quando eu me comprometer, aconteça o que acontecer eu vou, porque Palavra é o que você tem de maior valor e se a mesma é quebrada, isso se perde) e acabamos indo, deixei a minha mulher em minha sofra e ao ir pra casa, sofri um acidente sério em uma rodovia do qual saí ileso. Esse é mais um fato que pode-se prever o futuro e evita-lo, sim, não acredito que tudo está escrito e existe algumas nuances do qual podemos modificar e mudar, existem linhas de destino, uma vez Ramirez me disse: “O Destino está apenas esboçado, pense em uma escrita a lápis, você tem o esboço, mas você pode apagar o esboço e recriá-lo, você pode apenas apaga-lo ou pode usar a escrita de forma que não se apague mais” e continuo acreditando piamente nisso.

Conhecimentos básicos da Quiromancia (Leitura de Mãos)

Arjuna

No livro “Caminhos para Deus” que eu indiquei aqui no blog, de Ram Dass, ele diz que o que o livro “Bhagavad Gita” (Traduzido ao pé da Letra: Canção Divina) é a essência do conhecimento védico, é ensinado através de parábolas e é um diálogo complexo entre Krishna, que é uma das encarnações de Vishnu e Arjuna, seu discípulo guerreiro em plena guerra, é uma literatura excelente para aqueles buscadores do conhecimento antigo, também é dito que existem certas tendências de acontecimentos em sua vida, existem algumas predisposições, mas você pode muda-las e sair da roda do carma. Eu mesmo já ouvi de vários mentores que o “Livre Arbítrio é Tão Sagrado que nem Deus Interfere”. Em várias filosofias orientais, inclusive as Iniciáticas no Ocidente possuem um consenso de futuro, destino, livre-arbítrio, carma e darma, que existem certas predisposições, certas tendências, a Astrologia, os Búzios, a Numerologia, as runas (Onde estou aprendendo a jogar), a Cabala, muito utilizada por muitos famosos e que foi bem disseminada por muitos, a Quiromancia como método de autoconhecimento, muito bem explicada por Eliphas Levi, os ciganos sabiam ler as mãos não para prever o futuro, mas as características da mão revelava personalidade, tendências, defeitos e isso ajudava a realizar certas previsões, por exemplo, pessoas que tem certos traços de pessoas trabalhadoras e comunicativas, tenderão a ter sucesso e certas vocações que outras que são mais introvertidas, então, as previsões eram realizadas a partir do conhecimento dos traços psicológicos e as facilidades que poderiam levar durante a vida, o Tarô vem mostrando que podem existir tendências que podem ocorrer, quando bem realizados por pessoas sérias e competentes, mostram-se excelentes ferramentas para o autoconhecimento e consequentemente, auxiliando em pequenas previsões.

Eu gosto de dizer que esses métodos divinatórios são na verdade ferramentas para autoconhecimento, você se conhecendo, sabendo suas vocações, quais suas deficiências, você consegue traçar o seu futuro e determinar certas situações e consequentemente antever circunstâncias que podem ser desfavoráveis.

Repito, estou falando de pessoas sérias que jogam com seriedade, que estudam, que possuam a mão para isso, nem todos são capazes de manipular tais energias, são apenas curiosos com o oráculo na mão, lembro-me muito daquela grande maioria que fazia previsões sobre o próximo ano no Fantástico e quase todas as previsões estavam erradas, lembro-me do vários babalaôs falando que o Brasil ganharia a copa e assim por diante, essas circunstâncias só favorecem a certeza de muitos acharem que a Umbanda não passa de charlatanismo e superstição barata.

Já tive experiências de médiuns muito firmes e que seus mentores fizeram certas previsões que vieram a acontecer, sobre relacionamentos, sobre trabalho, recentemente um conhecido estava passando por um problema financeiro e profissional, o mesmo foi se consultar com o Sr. Zé Pelintra, o mesmo além de ter mencionado onde estava determinado objeto do filho que estava perdido e que não convém dizer qual é, disse ao mesmo: Fique sossegado, o trabalho está aqui, batendo na sua porta, isso foi em uma sexta-feira, na segunda o médium foi chamado para uma entrevista e na quinta, foi empregado.

Já postei aqui no blog, o Sr. Tranca-Ruas dizendo em um trabalho que se ausentaria por duas semanas porque haveria um desencarne em massa em nosso plano e que ele seria responsável por guiar os desencarnados a seus respectivos lugares. Também presenciei a consulta com um preto-velho kimbandeiro extremamente sério que era para o filho que estava ali falando com ele, dar mais atenção a uma certa pessoa porque em seis luas o mesmo desencarnaria, passado as seis luas, eis que a pessoa em questão veio fazer a transição (Desencarnou).

Ifá: Orixá da Adivinhação na Mitologia Iorubá.

Então existem previsões bem fundadas pelos guias espirituais, obviamente isso não é obrigação daquele mentor que está ali realizando a consulta em fornecer e consequentemente, o consulente que ali adentrou não esteja no merecimento ou preparado para saber, existe uma série de variáveis.

No centro onde eu trabalhava, existia uma médium, da qual já mencionei algumas vezes aqui no blog que era garota de programa (isso quebra muitos preconceitos e paradigmas na religião, quando falam que isso atrapalha a incorporação) e ela recebia um caboclo e uma pomba-gira que o que diziam era “batata”, acontecia. A mesma mencionou a uma mulher que o primeiro amor da vida dela voltaria, e voltariam com força total, a consulente havia perdido o contato com o mesmo chegando a casar, e na ocasião da consulta, estava se separando, e em exatos 30 dias (Contrariando a maldição do “Trago seu amor em sete dias”) em um shopping ela se encontrou com o dito cujo e estão juntos até agora, a mesma médium disse a um filho para seguir um determinado caminho que ali que estava o baú de ouro, o mesmo seguiu e sua empresa prosperou.

“A Previsão de acontecimentos futuros existe, mas não é obrigação do mentor em proferir e muitas das vezes, não é do merecimento do consulente saber!”

Vejo muitas pessoas indo a centros justamente por esse fato, de quererem previsões sobre dinheiro, vida afetiva, trabalho e muitas vezes decepcionam porque não ouviram o que queriam ou deixaram de ouvir, isso é uma grande constante, muitos e-mails que eu recebo são para “resolver problemas através de previsões” e infelizmente isso está muito além de minhas capacidades, a única coisa que eu posso fazer, é um rápido mapa natal da pessoa e interpretar certos períodos da vida dele, somente isso, obviamente os mentores tem maior poder para isso, mas se fossem a todo momento prever o futuro ou ajudarem em nossas escolhas, isso prejudicaria o livre arbítrio e consequentemente, nosso aprendizado nessa feliz e infeliz jornada chamada vida.

O Futuro é mutável, ele é dirigido por cada escolha que fazemos, e cada escolha tem sua consequência, o guia espiritual pode sim ajudar a escolher entre um caminho ou outro, como já mencionei algumas circunstâncias acima, mas infelizmente não é sua principal função, ou porque hoje é difícil encontrar um médium firme capaz de realizar tal função e mediante a essa questão, se reinventaram trazendo novas atribuições às suas incorporações, por exemplo, auxiliando com palavras de consolo, resolução de questões sem interferir o livre arbítrio, com conselhos, trazendo uma outra ótica para enxergar os problemas, um passe espiritual, uma limpeza fluídica, eu diria que a previsão é um PLUS e isso só acontece em médiuns que estão realmente firmes o que é uma rara circunstância nos dias atuais.

“Importante lembrar que a partir do momento que você sabe de um acontecimento futuro, você na verdade, descobriu uma tendência para que aconteça, mas você pode mudar a partir daquele exato momento”

Mas também acredito no futuro coletivo, da tendência na humanidade em sofrer certas consequências, como por exemplo, a Bomba de Hiroshima, Holocausto, Tsunami, Maremoto, entre outros fatos que dizimaram milhões de pessoas, isso é previsível e imutável.

Por favor, não me entendam mal, não estou dizendo que sou nazista, a favor da dizimação de irmãos com bombas, genocídios, e também confesso não ter uma opinião formada sobre o assunto, a previsão do Tranca-Ruas me fez pensar que com uma semana de antecedência, já estavam se preparando para o desencarne em massa, mas também me questiono: Era um desastre natural iminente ou uma determinação do Mundo Espiritual para limpeza? Salvação? Progresso?

Creio que essa resposta podemos apenas supor, podemos apenas criar hipóteses, mas é difícil saber ao certo.

Nota: Preferi colocar os nomes traduzidos para o nosso fonema, como tarô, carma, cabala, darma ao invés de utilizar os nomes corretos para facilitar com o corretor automático.

Nota 2: Para não ficar muito extenso, desmembrarei mais artigos sobre o assunto, senão se torna cansativo demais artigo muito grande.

Lack´Ech

Neófito da Luz .’.

Anúncios

Identificando e Entendendo a Regência dos Orixás de Cabeça

Muitas são as questões referentes ao Orixá de Cabeça, eu diria que praticamente 50% das questões que eu recebo é referente a saber qual o Orixá de Cabeça, me fornecem data de nascimento, nome completo e outras diversas metodologias que utilizam para descobrir qual é o Orixá de Frente que temos.

Esse post é para desmistificar um pouco essas questões, e abordar de uma forma mais complexa como se identifica o Orixá de Cabeça.

Importante salientar e repetir mais uma vez que Orixá é um Aspecto Vibratório de Deus, uma vibração que habita no Cosmos, todos nós fomos feitos “À sua Imagem e Semelhança” e indiscutivelmente carregamos uma centelha Dele dentro de nós, os africanos, traduziram essa centelha como o orixá (Ori = Cabeça, Xá = Energia) e atribuíram que essa energia fica em nossa cabeça, ou seja, em nosso chacra coronário que é o chacra principal para recebermos as energias do Universo.

Todos nós nascemos com um propósito e existem diversas formas de descobrimos esse propósito, isso se dá através do autoconhecimento e o Criador nos forneceu diversas ferramentas para isso, seja a numerologia, a astrologia, os oráculos, o eneagrama, entre outras diversas ciências que auxiliam em nosso autoconhecimento identificando nossos defeitos e qualidades.

Todos nós viemos do Cosmos e trazemos conosco, uma Centelha desse Cosmos, e na Umbanda, denominam-se “Orixás”. Apenas repetindo para frisar bem isso.

Existem diversas literaturas que explanam o arquétipo dos Orixás, características dos filhos, entre outras questões e ao descobrirmos, corremos para a internet para saber das lendas, das características, das preferências e tudo o que tange o nosso Orixá de frente.

Primeiramente vou explicar sobre o fundamento por trás dos Orixás (Mãe, Pai, Djuntó, Padrinho) e tudo mais e posteriormente, como podemos suprimir a característica negativa e potencializar a positiva. Primeiramente usarei como analogia a astrologia:

Na astrologia, temos o signo solar, que é o que encontramos em várias revistinhas de horóscopo e tudo mais, que eles pegam uma mensagem aleatória e coloca para as pessoas, eu por exemplo, sou do signo solar de escorpião e possuo características que se assemelham ao signo, OBVIAMENTE, nem todo escorpiano é igual, isso se deve a diversos aspectos da formação do ser, como criação, educação e outras várias, uma delas é o SIGNO ASCENDENTE.

O SIGNO ASCENDENTE é o signo que está no horizonte no momento do seu nascimento, ele está ascendente em linha com o SOL no ato do seu nascimento, buscando a referência de uma astróloga que respeito muito, Graziella Marraccini, ela diz:

Signo Ascendente, antes de mais nada, rege o corpo físico da pessoa e influencia a sua personalidade sendo o veículo da expressão do Eu Interior que é representado pelo Signo Solar. Na palavra personalidade, temos a raiz persona, que pode significar também personagem. Desta feita o Ascendente influenciará a personalidade ‘aparente’ da pessoa, o seu modo de agir, as respostas e necessidades de seu corpo físico, se misturando assim com as influências do Signo Solar e com a Lua, para compor a personalidade. “

Então como podem observar, o ascendente também COMPÕE a personalidade de cada pessoa, indubitavelmente um escorpiano se difere do outro justamente porque os seus ascendentes também não são iguais, aí ocorre uma mistura entre as duas características possibilitando diversas combinações de personalidade.

Também temos o SIGNO LUNAR, que segundo a mesma astróloga:

A Lua é responsável também pela nossa receptividade, pela nossa imaginação, por nossa sensibilidade, pelas nossa reações, hábitos e memórias, pela forma como nos adaptamos ao meio-ambiente e expressamos nossas emoções. O signo tradicionalmente ligado à Lua é o signo de Câncer, que indica o sentimento de proteção e nutrição. Nos Mapas masculinos, a Lua, representando a mãe ou anima, reflete muitas vezes o tipo de esposa que o homem irá buscar na fase adulta para substituir a própria figura materna. Nos Mapas femininos porém, a Lua assume uma maior importância. De fato, a mulher sendo um ser “dual” precisará se identificar seja com o seu lado solar que com o seu lado lunar. Isso explica porque muitas mulheres não conseguem se identificar com o seu signo solar. “

O que eu quero dizer com tudo isso?

Não podemos generalizar que todo escorpiano é igual, que tem certas deficiências, porque todo escorpiano pode ter características semelhantes, mas quando combinamos com o seu ascendente e sua lua, tornamos mais assertiva a identificação desse ser. Isso também acontece com os orixás regentes (Orixás de frente comumente chamados também)

Não é porque eu sou um filho de Xangô que serei possessivo, violento, ciumento e as demais características pejorativas encontradas no arquétipo do Orixá, eu também tenho a minha “Mãe de Cabeça” e também tenho o orixá que rege os meus caminhos e eles alternam sua predominância em todo tempo de nossas vidas.

Existe as combinações, por exemplo:

Um filho de Xangô que tem como mãe de cabeça Iemanjá e “padrinho” Oxóssi, é diferente de um filho de Xangô que tem como mãe Oxum. Ocorrerão semelhanças, mas quando identificarmos profundamente certas características, existirão mudanças.

Dentro do próprio Orixá regente, ele tem a qualidade, o aspecto vibratório, por exemplo, um filho de Ogum, ele pode ser de Ogum Beira-Mar (Vibra com Iemanjá), filho de Ogum Iara (Vibra com Oxum), Ogum Megê (Vibra com Obaluaie), então, o Ogum tem uma qualidade, ou seja, ele carrega mais de uma vibração com ele. Continuando no mesmo contexto, vamos desmembrar Ogum Beira-Mar:

Ogum Beira-Mar: Orixá Ogum, que atua na vibração de Iemanjá, ou seja, a característica de um filho de Ogum Beira-Mar pode ser bem diferente da característica de um Ogum Rompe-Mato, justamente por a vibração é Ogum, mas ele traz mais de uma vibração.

Bem difícil passar isso em texto [risos].

Vou tentar definir o meu caso:

Sou filho de uma qualidade de Xangô que traz vibração com Oxalá, alguns chamam de Xangô Agodô e o seu sincretismo é São Pedro, outros dizem que é Oxalá velho, cada um tem a sua concepção individual nesse caso, eu percebia que todo guia meu aparecia de branco, achei estranho porque era convicto que eu era filho de Xangô, foi através de uma senhora que eu perdi o contato e de um excelente babalaô que fez a transição que descobri que na nação chamam-no de Xangô Airá, ou Sango Ayra, e na Umbanda é Xangô Agodô (Alguns chamam de Alafin).

Muitas pessoas utilizam dia da semana, dia de nascimento e outros diversos métodos, mas é importante salientar que não existe uma regra oficial para isso, dizem que quem nasce em outubro é filho de Obaluaie, eu sou de Xangô, que quem nasce de terça é filho de Ogum, e assim vai.

O Mundo espiritual possui diversas regras, mas é importante salientar que essas regras de dias, data de nascimento, muitas regrinhas dessas foram criadas por homens, e quando as coisas são criadas por homens, existe a sua margem de erro e muitas vezes, uma margem muito alta.

As formas mais adequadas de descobrir quem realmente é o seu Orixá Regente, ou Orixá de Cabeça ou Orixá de Frente como dizem, é com o seu próprio dirigente ou com sua intuição, eu percebi que geralmente, eu disse, GERALMENTE somos filhos do primeiro orixá que damos passagem. O primeiro orixá que eu dei passagem foi Xangô, sem saber como vinha, veio com as duas mãos fechadas, cruzadas e gritando Kio e Kao.

Muitos médiuns que começaram comigo, ocorreu a mesma coisa, um amigo de Oxum, meu irmão de Obaluaie, um outro amigo de Oxóssi, meu pai com Ogum e assim foi.

Um outro fator interessante para observar, é que nem sempre somos regidos pelo nosso orixá de frente, sim, eles alternam com o tempo, e também não existe somente a regência dos três principais: Pai, Mãe e Djuntó (Não gosto muito dessa nomenclatura), vai depender muito da missão do médium, eu já conheci pessoas que ao invés de três orixás, eram cinco que respondiam, além do fator de cruzamento de vibrações que eu citei acima como Ogum Beira-Mar, ele traz duas vibrações, aí você tem uma mãe como Iansã (Que algumas vibram com Oxum) e com Oxum (Algumas trazem vibração de Iemanjá) então você fica com seis vibrações dentro da sua cabeça. Mas isso é conversa lá para frente, que é um assunto bem complexo.

Mas não se apeguem a regras, quizilas, eu mesmo tenho como caboclo de frente, Sr. Urubatão da Guia, que se for estudar sua nomenclatura, ele vem com Obaluaie (Dizem ter quizila com Xangô), Xangô, Ogum e Oxalá. É um caboclo que traz quatro vibrações, existem caboclos que trazem Sete vibrações, como o caso do Sr. Sete Flechas, e assim vai.

Não existe receita de bolo, não existem regras pré-estabelecidas, a regra principal é acreditar em si mesmo, se você tem cinco caboclos, ótimo, pode acontecer, se tem apenas dois, ótimo também, cabe a você descobrir qual a sua missão dentro dessa jornada chamada vida.

Um outro fator importante salientar, criou-se uma lenda que “assentar” o orixá errado atrapalha a vida do filho e tudo mais, eu fiz todas as minhas obrigações para Ogum, que o mesmo não saía do meu pé [risos], Ogum me regeu por quase uma década porque ele precisou, eu precisava de força para muitas coisas, precisava de iniciativa, poderio de guerra e justamente por isso, ele me regeu por tanto tempo, mesmo eu sendo filho de Xangô, justamente por isso, fiz todas as obrigações possíveis pra ele e graças a Deus, nunca tive problemas. Assentar Orixá errado não atrapalha a vida de ninguém e não dá quizila também, isso é coisa que colocam em sua cabeça.

Importante salientar que muitos exemplos que eu dou, apesar de citar somente eu, se baseia conhecendo a vida de outras pessoas também, fui pai pequeno durante seis anos e consegui ver os bastidores de muita coisa.

Quer saber seu orixá de cabeça? Vivência ou Confiança no seu sacerdote. Apesar de achar que todos nós no fundo sabemos quem é o nosso orixá regente.

Ferramentas como astrologia, dia da semana, dia de nascimento, regras de cálculos, muitos utilizam o biótipo, tem centro que não pode ver um gordinho que já dão Xangô a ele, não podem ver uma baixinha que já dão Oxum a ela e assim vai [risos]. Muitas ferramentas podem ajudar sim, podem dar um norte, MAS NEM SEMPRE é um fato!

Em nosso plano, tudo o que se refere ao mundo espiritual são especulações e isso vai depender justamente dos olhos de quem vê e dos ouvidos de quem ouve.

Desculpem-me se os decepcionei tentando dar a fórmula certa para descobrir seu Orixá, porque ela não existe!

Carma e Estudos

Devemos estar o tempo todo seguros de que cada parte da escada que nos ampara e eleva está firme e estável. Porque é mais perigoso correr escada acima, se ela balança, do que lutar em cada degrau inferior até torná-los seguros. Uma outra forma de abordar as vidas passadas é a utilizada pelos místicos, através da Astrologia Cármica associada à Numerologia Cabalística.

Na astrologia tradicional, a décima segunda casa representa a autodestruição, os assuntos secretos e o processo subconsciente. Acredita-se que carregamos memória cármica em nosso subconsciente e que essas lembranças podem nos enfraquecer na vida presente. Quando removemos o obstáculo criado por medos e culpas subconscientes, vemos que o caminho para transformação pessoal está ainda mais além.

A Astrologia, que é uma ciência milenar, aplicada ao estudo da influência dos astros no comportamento humano, afirma que quando a órbita da Lua se cruza com a órbita da terra ou do Sol, forman-se os Nódulos Lunares. Esses nódulos representam as principais chaves para o entendimento de cada vida como parte de um tecido contínuo. Eles indicam a sua herança das vidas passadas e podem ajudá-lo a compreender melhor o seu carma.

Os Nódulos Lunares representam a relação de causa e efeito através da qual você dirige sua vida; eles fazem a diferença entre a Astrologia comum e a Astrologia Espiritual. Estes dois pontos sensíveis podem mostrar-lhe quais são seus objetivos atualmente e quais os hábitos de vidas passadas que o estão impedindo de alcançá-los. É através dos Nódulos Lunares que a Astrologia Ocidental se capacita a relacionar esta ciência divina com o conceito hindu de reeencarnação e passa a chamar-se de “Astrologia Cármica”.

Os Nódulos Lunares são como pólos magnéticos da alma, um vindo do passado e outro rumando para o futuro. O processo a que chamamos vida, mescla estes dois extremos de forma a permitir a felicidade do indivíduo, já que a presente encarnação é um símbolo de sua transição do passado ao futuro. O Nódulo Norte da Lua não se caracteriza como planeta, mas pode ser considerado uma ponte entre sua vida presente e seu futuro. O Nódulo Sul da Lua é considerado uma ponte entre sua vida passada e esta onde você está vivendo.

O Nódulo Lunar Norte influencia positivamente a sua vida, ele mostra os pontos de sua personalidade que devem ser trabalhados para que você possa evoluir espiritualmente nessa existência. O Nódulo Lunar Sul, que se localiza sete sígnos após o Nódulo Lunar Norte, exerce uma influência contrária ou negativa, indicando de que forma atuam os seus instintos, conforme as experiência que trouxe de suas vidas anteriores.

Para um astrólogo experiente, a interpretação do Sol, da Lua e das posições do Nódulos Lunares, podem revelar toda a vida da pessoa. A Numerologia Cabalística utilizando o princípio da sincronicidade,que é adotada por esta técnica, busca em nosso inconsciente os registros do passado de uma pessoa que tenha o mesmo número ou código individual que cada um de nós possui na vida atual, como uma espécie de impressão digital. A introspecção é a porta sincronística que nos leva a este registro cósmico enquanto a numerologia nos remete ao indivíduo procurado. Uma das mais fascinantes revelações que se pode ter por esta técnica é a relaçao numerológica : nome/causa/efeito.

Na configuração dos Odus também pode-se ter uma noção muito forte. O famoso filósofo, teólogo e místico irlandês George Berkeley afirmava que o que vemos é o resultado de nossa consciência ou atividade mental e não dos nossos sentidos. E aquilo que pensamos, passa a ter vida em algum lugar e em algum tempo. Assim, para aqueles que acreditam, o seu personagem é efetivamente real; para os que não acreditam é preferível não lidar com estes fenômenos.

Carlinhos Lima – Astrologo.