Bebidas caras para guias! É realmente necessário?

Bom, irmãos de fé, esse título foi algo que eu ouvi de uma irmã de santo da qual tenho muita confiança e entrou recentemente em nossa egrégora, o exú exigir um whisky de boa qualidade. Com isso eu me pergunto: Um exú quer um whisky de boa qualidade porque ele gosta de beber esse whisky, porque quanto maior a qualidade, melhor o trabalho ou seria porque seu aparelho faz questão de tomar um whisky de alta qualidade.

Para refletir sobre esse assunto, eu gostaria de expor um pouco a minha ideia em relação a isso, em minha opinião, o álcool é apenas um elemento de trabalho relativo à vibração da entidade que o utiliza, trocando em miúdos, quanto maior a necessidade de um trabalho mais próximo ao nosso plano, maior a necessidade em trabalhar com elementos mais densos, como o álcool no caso.

Em hipótese alguma, acredito que isso saia seriamente da boca de um exú, conheço sim, exús que brincam em relação ao whisky que tomam, mas exigir um whisky de boa qualidade para que possam apreciar e trabalhar com ele, para mim seria uma afirmação inadmissível, algo que contraria totalmente as leis da Umbanda, como a humildade tanto pregada pelos nossos queridos vovós e vovôs da Umbanda.

Qual a diferença de um whisky de boa ou má qualidade? Apenas o teor de álcool? A “esmaltação”? Tudo isso seria necessário para o bom andamento dos trabalhos? Creio que não, acredito sim na hipótese de mistificação, acho que o que vale lembrar é sim o teor de álcool e a utilização desse elemento para o trabalho, um exú de Lei, trabalha com qualquer bebida que contenha álcool, talvez, ele tenha uma afinidade maior com determinados tipos de bebidas, talvez alguns prefiram o conhaque, pela existência do gengibre, outros o vinho, pela existência da própria uva, isso realmente é relativo e cada entidade tem uma certa preferência para escolher seus elementos de trabalho, mas no caso exigir um whisky de boa qualidade, como por exemplo, um Red Label, um Chivas, eu acho realmente um absurdo, talvez uma forma materialista do próprio medium ostentar um certo poder ao seu guia, em outras palavras, minha entidade é “chique, enjoada” só toma coisas de boa qualidade. Isso é consequência de um grave defeito que existem entre os filhos da Umbanda, o Antropomorfismo, agora que discutiremos posteriormente, em poucas palavras, é a forma de atribuir todos os pensamentos, defeitos e qualidades humanas aos guias e orixás, como ocorriam com os Deuses Gregos, por exemplo, ninguém possuía a coragem de enfrentar a Fúria de Zeus.

É uma forma de “humanizar” os guias e orixás, e acredito estarem em um patamar que dispensa tais sentimentos e pensamentos primitivos. Portanto, minha gente, em meus quase 20 anos de Umbanda e um pouco de experiência que eu obtive com guias e orixás, acho luxúria excessiva tal solicitação, é claro que, ouvirei de certos filhos que isso pode ser um ensinamento que o guia tá dando, que o guia sabe o que faz e blá, blá, blá, mas vale lembrar que acima do guia no ato da incorporação, há sim a cabeça do médium que pode prejudicar a comunicação entre guia e matéria. Portanto, o intuito desse blog é além de compartilhar o pouco da minha experiência, é tentar desmistificar algumas tradições que foram oriundas de simples superstições sem o devido embasamento, que de certa forma, acho que é o caso dessa situação.

A Exigência de um whisky de boa qualidade para uma pessoa, que se ali houvesse uma entidade firme, não pediria algo tão caro para alguém desempregado, e isso, nada mais é, do que mais uma história de ignorância do Grande Livro que escreve a nossa Amada e Singular Umbanda.

Enfim, essa é minha opinião, para a entidade, whisky é whisky, e acima da qualidade do whisky, existe o pensamento, que é a maior força do Universo, existe sim o propósito, o objetivo do médium da entidade e da própria entidade, o álcool, é apenas algo supérfluo que possui influência apenas em nosso limitado plano materialista, portanto, ele é secundário servindo apenas como base e auxílio para o trabalho terrícola.

Portanto, de boa ou má qualidade, o mais importante é a vibração da entidade e do medium, e acima de tudo, as intenções de ambos para a prática do Amor e da Caridade.

Repito, muitos guias falam brincando, porém, se a entidade exige algo tão ostentador em um templo que prega a simplicidade e a humildade, fatalmente ali não é um ser de luz que vos fala.

Um cordial Saravá.

Aranauam.

Neófito da Luz.

Anúncios

Sexo e a Umbanda

Muladhara – O Chakra Básico, o chakra raíz

Saudações buscadores da Verdade, aprendizes e companheiros de senda, aqui quem vos fala é o neófito com mais um tema relativamente polêmico e para dar pano para a manga.

Porque o Sexo é tão repudiado antes dos trabalhos espirituais? Esse artigo não entrarei no mérito do álcool e carne vermelha (AINDA!) Para não ficar muito extenso. 😉

Bem, meus amados irmãos, vamos lá tentar esmiuçar um pouco do que é o SEXO, esse ato tão apreciado por nós e tão simbolicamente repudiado pelo mundo espiritual.

Antes de mais nada, o sexo nada mais é que compartilhar prazeres e desejos entre duas ou mais pessoas, é o toque, o gesto, é o conhecimento do próprio corpo e do corpo do parceiro, é o ato de dar vazão ao instinto que todos nós temos enquanto vivos nesse invólucro carnal condutor de pecados (risos). O Sexo é estudado por diversas escolas litúrgicas, algumas atingindo o extremo da ignorância retirando o clitóris da mulher para que a mesma seja impedida de sentir prazer e não cair na tentação da carne, o mesmo também ocorriam com muitos homens, o ato de “castrar” os homens tornando-os eunucos. Como sempre, tudo é a linda e maravilhosa sábia religião (independente de qual seja), que nos impede da verdade e nos leva ao inesgotável caminho da ignorância e superstição, não?

O próprio celibato dos católicos, muitos não sabem, deu-se origem em meados do século XIV porque custava MUITO CARO PARA A IGREJA MANTER O CORPO ECLESIÁSTICO E SEUS DESCENDENTES, isso mesmo, meus amados, o celibato cristão teve interesse muito mais econômico que religioso, era comum e a história não nega, que muitos cardeais tinham não somente uma esposa, mas várias, e muitos filhos, sustentar esse monte de “bocas” ficava caro para a Igreja instituindo então, o celibato. Interessantemente isso ocorreu em uma época que já existia alta corrupção dentro do papado, mas que não é o foco do artigo.

O Sexo algo tão abominável por diversas religiões e repudiado por muitos ascetas e “puros” de espírito, que seria a ativação do chakra básico em sua plenitude e trazendo essa força visceral e incontrolável de forma positiva ou negativa ao nosso corpo espiritual.

“Energia Sexual é a energia criativa que move a vida, nossas vontades e desejos” como dizia nosso querido Carl Gustav Jung.

Praticar a abstinência sexual para muitas religiões é renegar os desejos da matéria, buscando assim a evolução espiritual, diminuindo ou esgotando qualquer dependência do corpo físico e focando apenas no conhecimento do corpo espiritual. Obviamente isso não é a realidade da grande maioria da população, ainda somos presos aos desejos e instintos do corpo físico, isso não significa que estamos longe da evolução, mas tudo tem o seu tempo e a sua etapa, é extremamente importante ressaltar que no fim, todos alcançaremos a evolução, para alguns levará mais tempo e para outros menos, mas isso não significa que será mal visto aos olhos do Mundo Superior.

No Hinduísmo, existem os Purusharthas que são os quatro objetivos da vida do hinduísmo, um deles é o kama, que é o prazer, o desejo. Ele está muito relacionado à vida sexual, independente de gênero, o sexo segundo os hindus é um importante aspecto na vida e felicidade do ser, é importante salientar que a atividade sexual é totalmente permitida, desde que não prejudique o darma, que também é um dos purusharthas.

Pegando um gancho, outras duas escolas também não são contra o sexo, porém, ele não pode ser baseado em luxúria, no templo de Delfos, existia o “Meden Agan” (Nada em Excesso) e o próprio Taoísmo nos ensina a seguir o “Caminho do Meio”.

Segundo a Cabala, que é o misticismo judaico, totalmente desprendido de religiões e dogmas, focado somente na evolução e conhecimento do ser individual, não há nenhum condutor mais profundo, poderoso ou potencialmente espiritual para a expressão de nosso desejo do que o sexo.  Portanto, diferente da religião, ele não deve ser suprimido, porém, moderado.

O Sexo é a troca de energias entre duas ou mais pessoas, essas energias podem ser totalmente benéficas ou maléficas a você, por isso, estimulam totalmente a escolha correta do parceiro.

Tudo bem, neófito, você falou pra caramba, mas quero saber da Umbanda!!!

Ok, conforme sempre digo, gosto de realizar analogias entre outras escolas que eu confio muito, das quais em sua grande maioria são de adeptos que também se preocupam com o estudo e não somente a repetição e a prática desenfreada, então, começamos a falar de sexo na umbanda, já que mostrei que não é algo pecaminoso e abominável, PORÉM, é uma prática que esgota fortemente a sua energia espiritual e até absorve a energia do parceiro que você entrou em contato, é aí que começa a questão…

É sabido que nos trabalhos mediúnicos, é preponderante o médium estar preparado energeticamente, é imprescindível que o médium esteja de acordo com a energia espiritual do ambiente, DESCANSADO, e focado nos trabalhos que realizará durante o dia de sessão, todos nós médiuns sabemos como é DESGASTANTE incorporar, dependendo da linha e do trabalho que se realiza, exaure toda nossa energia, imagine em um dia que praticamos sexo, chega um consulente na casa precisando de uma limpeza total, um trabalho de cura intenso? Como é que vai ficar a nossa energia espiritual e nossa sintonia com a entidade? Como poderemos desprender de nossa essência mediúnica a aplicar no consulente ali em questão?

É por esse único motivo que os mentores pedem esse pequeno resguardo, para que no dia do trabalho, você possa estar com todo o seu potencial vibratório, obviamente, cada pessoa tem o seu tempo de descanso, algumas, após 3 horas do ato sexual já está com toda sua energia renovada, outras demoram até 48h para que sua vibração e sintonia estejam de acordo com a incorporação, nada é uma regra, cada pessoa tem a sua peculiaridade e toda generalização é um erro.

“Cabe a nós ajudar e somente ao Pai julgar” Pai Guiné.

Alguns dizem que o esperma é que traz a sujeira, outros dizem que o que contamina o corpo sujando-o é o sangue, ambos, o sangue e o esperma que ficam teoricamente acumulados nos órgãos genitais. O que para mim é outra falácia, em relação ao sangue, o nosso corpo o possui em todas as extremidades e porque somente o sangue presente nos órgãos genitais é sujo, somente pela troca de fluídos durante o ato? Em relação ao sêmen, é o gerador de vida, e também está presente na genitália. Ambos estão presentes durante, antes ou depois da relação sexual, obviamente com bem menos intensidade, mas estão.

Existe também o fator SACRIFÍCIO, porque abstinência de sexo para a grande maioria da população é um grande sacrifício, uma forma de demonstrar sua devoção para o orixá, em registros antigos, é comumente encontrado que o sacrifício é a melhor forma de agradar a divindade, para isso, é imprescindível abster-se dos seus maiores instintos e desejos afim de demonstrar seu amor, respeito e devoção à sua Divindade, mas creio eu que já estamos em uma era de grande conhecimento, sabedoria, evolução e tudo evoluiu, assim como a espiritualidade é dinâmica e tudo no Universo, também é fatídico que a espiritualidade evoluiu ao ponto de entender as novas necessidades, filosofias e demandas da vida moderna, vida de asceta ficou lá atrás, assim como a vida de sacrifícios, superstições entre outros meios de PROVAR a SI e a Deus seu amor. Aí entra em um ponto interessante, o ser quando se desprende disso, é porque já atingiu tamanha sabedoria e evolução ao ponto de NÃO NECESSITAR MAIS DE NADA DISSO, prestem atenção, é MUITO DIFERENTE SE PRIVAR DE ALGO QUE GOSTA E SIMPLESMENTE DEIXAR DE PRECISAR DAQUILO QUE GOSTA, a evolução é autenticidade, é genuína e não sacrificante.

Da mesma forma que existem pessoas que já vivem muito bem sem dinheiro por não ligarem mais para a vida material, ao luxo, à riqueza, não ligam para carros, já possuem outros valores, assim também são as pessoas que não precisam ou não sentem mais a vontade de sexo e outros prazeres mundanos como a bebida, o fumo, entre outras coisas. Cada um no seu tempo, se abdicar das suas reais necessidades afim de realizar sacrifícios para mim é apenas falsidade, uma máscara, por isso sempre falo no blog, a evolução é sempre de dentro para fora, primeiro a mentalidade deve ser mudada, para que essa mudança não seja um sacrifício e sim uma decorrência de uma mentalidade evoluída.

Já citei aqui no blog que uma das melhores filhas que eu tinha na casa, as entidades atuavam de forma magistral e ela era garota de programa e é nesse preâmbulo que encerro o artigo tentando elucidar um pouco que não é porque o sexo é sujo e proibido e sim porque é uma pratica espiritualmente desgastante e que pode prejudicar o trabalho mediúnico durante os trabalhos. Cada pessoa tem o seu tempo de recuperação após o ato sexual e cada pessoa tem um nível vibratório bem particular, se a pessoa já tem pouca energia e ainda demora se restabelecer após o ato sexual, o seu trabalho ficará muito mais degradado que uma pessoa que possui muito mais energia e menor tempo de recuperação, portanto, o resguardo sexual é apenas para que possam desempenhar um bom trabalho espiritual e atuar em sua missão mediúnica com potência total.

Leitura complementar: http://www.nervespiritismo.com/sexualidade_e_o_espiritismo-01.html

Sem mais delongas.

Namastê.

Neófito da Luz.