A Quaresma na Umbanda

Figura 1: Quaresma, simbolizada pela cor roxa, que significa luto e penitência


Saudações Prezados Irmãos de Senda, um Cordial Saravá e lá vou eu, pra mais um “blablabla”.

Muitos me questionam se eu o meu centro funcionaria durante a quaresma e dir-vos-ei (Estou ficando culto) com TODA A CERTEZA: Um Enfático SIM!

Etimologia

Primeiramente, gostaria de mencionar que o termo “Quaresma” vem do latim quadragesima dies (Quadragésimo Dia)

O que é a Quaresma?

Refere-se a um período de 40 dias que inicia-se na quarta-feira de cinzas e encerra-se na páscoa, normalmente são 47 dias, mas os sábados são excluídos porque como é um dia reservado para o descanso, subentende-se que é um dia para o recolhimento. Há algumas literaturas que dizem que o domingo que é excluído pelo fato de na época não fazer parte do calendário litúrgico, mas se normalmente as missas eram aos domingos, não entendo. A Quaresma é um período em que os católicos e outras liturgias cristãs como a Anglicana e Luterana, é um período sagrado que visa o fiel se recolher, jejuar e sacrificar-se afim de buscar a sua iluminação, deve-se evitar qualquer tipo de “mortificação” até mesmo ingestão da carne e é um período que deve-se enfatizar a CARIDADE e ORAÇÕES (Estão em maiúsculo porque Umbanda significa o que?)

Esses “Quarenta Dias” é um número muito famoso nas literaturas cristãs, o próprio dilúvio segundo relatos, durou 40 dias, Moisés em Êxodo passou 40 dias e 40 noites para receber a Lei. O Profeta Elias leva 40 dias para chegar ao monte Horeb, entre muitas outras passagens, 40 também é o número dos ladrões de Ali Babá em 1001 noites, o que não tem nada a ver com a bíblia mas eu quis mencionar pra mostrar que eu sou cult (rs).

O próprio Papa Bento no dia 22 de fevereiro de 2012, referiu-se à Quaresma como: “Trata-se de um número que exprime o tempo da expectativa, da purificação, do regresso ao Senhor e da consciência de que Deus é fiel às suas promessas.”

É um período que visa o recomeço, o crescimento espiritual, a evolução da Consciência (Ainda não entendo porque não trabalhar nos centros). Cerca de duzentos anos após o nascimento de Cristo, os cristãos começaram a preparar a festa da Páscoa com três dias de oração, meditação e jejum. Por volta do ano 350 d. C., a Igreja aumentou o tempo de preparação para quarenta dias e assim surgiu a Quaresma. A cor litúrgica deste tempo é o roxo, que significa luto e penitência, o que explica o fato das imagens católicas serem cobertas com um manto roxo nesse período. A Igreja católica propõe, por meio do Evangelho proclamado na quarta-feira de cinzas, três grandes linhas de ação: a oração, a penitência e a caridade. Não somente durante a Quaresma, mas em todos os dias de sua vida, o cristão deve buscar o Reino de Deus, ou seja, lutar para que exista a justiça, a paz e o amor em toda a humanidade.

A Quaresma na Umbanda

Muitos centros fecham seus trabalhos por seguirem essa linha católico-cristã, infelizmente, nossa cultura é banhada por tradições católicas, obviamente, muitos dirigentes submersos a essa cultura, também seguem essa liturgia como forma de respeito e consequentemente seus mentores espirituais veem-se obrigados a respeitar a opinião do seu dirigente. Muitas casas utilizam esse período para o resguardo ou até mesmo para o descanso. Outros centros, optam por trabalhar apenas com linhas que atuam também na esquerda, muitos centros só trabalham com boiadeiros, marinheiros, baianos e exús, resguardando os caboclos, preto-velhos e erês por serem supostamente guias apenas da direita.

Existe um grande consenso nesse aspecto, desse resguardo espiritual, muitos centros enfatizam que é quando as trevas estão soltas, que os kiumbas e outros espíritos de baixo patamar vibratório estão à vontade para executarem todas as maldades pertinentes em nosso plano.

Eu não acredito de forma alguma nessas teorias por um grande motivo: Calendários terrenos são ligados às práticas do mundo espiritual? Se o são, quer dizer que durante 40 dias os mestres cósmicos descansam, dormem e deixam a zona correr na Terra? Tem coisas que não fazem o mínimo de sentido pra mim. Você ter o livre arbítrio pra fazer toda a besteira possível tudo bem, mas isso não significa que papai deixou o lar e as crianças podem fazer o que quiserem.

Os Trabalhos Umbandistas durante a Quaresma.

Como mencionei acima, muitas casas de recolhem, parcialmente, trabalhando com linhas que também chegam na esquerda e integralmente, fechando os trabalhos durante o período para reflexão, descanso ou até mesmo penitência.

Dois grandes motivos que me inclinam a trabalhar IGUALMENTE como em outras épocas: Se é um período de que temos que recolher, evoluir, praticar a caridade, porque fechar os centros? Não seria um paradoxo? Uma prática antagonista aos princípios tão pregados na Umbanda? Não será superstição ou apenas a oportunidade para muitos centros descansarem e evitarem suas obrigações? Penso eu que se for um período tão importante para evolução, NADA MELHOR que trazer toda a galera de Aruanda pra ajudar a gente crescer, trazer seus ensinamentos e experiências.

O outro grande motivo é: Se as trevas estão à solta, o que eu penso fazer relativo sentido, justamente pelo “baixo astral” que traz o carnaval justamente por tanta energia exsudada, sexo desenfreado, entre outras atitudes que denigrem nossa energia perispiritual não é o momento ideal para trazer os caboclos para segurar toda essa demanda negativa? Trazer os vovôs com sua larga experiência em combate com energias deletérias? Trazer os erês para trazerem a pureza e a tranquilidade espiritual que tanto almejamos? Ou vocês ainda acreditam que os erês tem medo de exús e são apenas crianças inúteis dispersas no astral cujo único objetivo e tacar bolo na cara e fazer sujeira?

Existem centros também que utilizam esse período para a firmeza dos médiuns, para a limpeza dos mesmos, para o desenvolvimento e para “recarregar suas baterias”, o que eu acho algo plausível e tem um grande fundo de verdade, para isso, até concordo e acho correto, é uma forma de caridade, porém, não concordo estendê-lo por toda a quaresma.

Como Trabalhar Durante a Quaresma nos Centros?

Como eu disse, eu, Neófito, e já com o “OK” de todos eles, trabalharia igualmente como em outros locais, a aflição não espera, imagine se ficarmos sem médicos durante 40 dias? Bom, eu ficaria porque odeio hospitais, mas como ficariam as emergências? Imaginem 40 dias solitários, sem ter ninguém pra conversar ou desabafar sobre as ideias? Bom, ainda não fez sentido pra vocês? Imaginem 40 dias sem Facebook e Whatsapp! AAAAAAAAAAH sim, agora chamei a atenção de vocês né? Rs. É assim que eu penso de 40 dias sem meus lindos penudos, meus grandes vovôs e meus amados pirralhos, isso quando a casa se fecha apenas para eles, imagine 40 dias sem amparo espiritual, daqueles que estamos tão acostumados, uma “fumaçada”, uma “atabacada” e assim vai. Justamente por esse motivo, de ser sempre vigilante e ativo para ajuda, o meu centro não fechará, pelo contrário, se intensificarão os trabalhos, isso me remete à célebre frase de Edmund Burke, utilizada também por Martin Luther King, Bob Marley que é “Para que o Mal Triunfe, basta que os bons não façam nada”, justamente por isso, nunca cruzaria meus braços durante a quaresma.

“Para que o mal triunfe, basta que os bons não façam nada”

Nesse preâmbulo, nessa máxima que faz todo o sentido, é que meus trabalhos serão ainda mais frequentes e enfáticos, isso, dentro de uma premissa na qual eu acreditasse, como ignoro muitos ritos católicos, pra mim é uma época como outra qualquer, reflexão temos que ter todos os dias ao acordar e dormir, busca para a caridade, não somente dentro do centro, como fora também, ainda tem o fator sacrifício! Sacrifício? De certa forma, só de ir ao centro sem saber o que você vai encarar, sem saber se vai incorporar direito,  sabendo que poderia estar 4, 5 horas fazendo uma outra coisa, você está ali, para pessoas que você nunca viu para ajuda-las, muitas vezes sendo criticado ou até mesmo duvidado por muitos, talvez levar o resquício de “carrego” pra sua casa  já é um grande exemplo de abnegação e sacrifício, não? Não escolho apenas os 40 dias para tal, e sim todo o ano, portanto, não ficarei preso durante 40 dias em uma tradição que nunca fui de acordo, não sou católico, não é mesmo? E como disse, quaresma é uma época normal como qualquer outra, então como um bom exército não escolhe uma guerra, eu não escolho me recolher e nem tampouco descansar, onde alguém estiver precisando de ajuda, não me recolherei, e sim irei até ela para poder servi-la da melhor forma possível.

E como ignoro essa época como algo sagrado e cristão, “Pau no Gato!”

E vocês, o que acham de trabalhar na Quaresma? Comentem logo abaixo com o plugin integrado com o Facebook!

Namastê.

Neófito da Luz .’.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s