Exu de Lei nas Palavras de Seu Pedra Negra

 



Abaixo, deixo um trecho do livro “Histórias do Povo de Umbanda”, psicografada por Edson Gomes. O trecho narrado é contado pelo Exu Serra Negra. Nele, Natan (Serra Negra), começa a aprender o que é ser um Exu de Lei. É instruído pelo Exu Pedra Negra. O diálogo acontece após uma série de acontecimentos onde, Natan, ainda não esclarecido, estava atuando como um kiumba:(Pág.134 e 135; Grifos nossos)

“_ Peste! _ Pedra Negra ergueu a voz _ Tu fez muita coisa ruim, e tá tendo chance de pagar e consertar. Eu já fiz muita coisa ruim, já paguei, já aprendi. Ele não é diferente. Tu não aprendeu nada com o sofrimento de ficar perdido? Tu não entendeu que só colheu aquilo que plantou até aqui? Se tu ainda não aprendeu nada disso ainda tem muito mais pela frente do que imagina.

_ Você também já foi assim?_ olhei para o meu próprio corpo deformado, enquanto perguntava.

_ Não! Eu aceitei logo de princípio. Nota: (aqui Exu Pedra Negra faz referência a aceitar auxílio após o desencarne, coisa que Natan não aceitou).     

_ Então você é um espírito elevado! _ afirmei.

_ Não. Eu aceitei, mas isso não pagou o que eu fiz em Terra, não devolveu as vidas que eu tirei.

Olhei com raiva para ele.

_ Não, peste. Não sou melhor que tu por ter aceito primeiro. Já disse, isso não justifica o que fiz. É por isso que hoje aprendo a compensar o que eu fiz “trabalhando” para a elevação espiritual dos outros, como você. Essa é minha função. Eu guardo uma parte do umbral, não permitido que os mais baixos, os menos esclarecidos e os sem luz interfiram na vida dos justos e merecedores. Eu, peste, sou um guardião.Antes das Trevas invadirem a Luz, precisam passar por uma divisão, uma divisão com a mesma força das Trevas, mas que trabalha em nome da Luz. Eu faço parte dessa divisão. Zelo pelo material e por sua proteção. Isso é o que me distingue em Exu-de-Lei de um quiumba. É isso que me faz ser mais forte que você, e é assim que eu cresço rumo à luz. Fica fácil aprender, depois que tu aceita.

_ Você não dá tombo?

_ Não, já disse! Não trabalho pro que é baixo. Se eu fizer alguma coisa, vai ser pra ensinar, não pra derrubar. Não sou quiumba.

_ Você é bem pago?

_ Sou.

_ O que lhe entregam?

Nada. O que eu preciso, o que tu precisa, não tem entrega que possa pagar: vem apenas pelo trabalho.  

_Então, tu não é bem pago! _ grunhi.

_Não quero ficar no buraco de onde acabei de te buscar. O que te ofereceram te tirou dele?

Fiquei calado. Senti-me pequeno, inútil.

Olhei para cima e vi planos espirituais, imitações de lugares na terra passando.

Nós já havíamos atravessado a camada mais baixa, onde apenas trevas e sombras se moviam, um lugar que chamam de “umbral”.

Entramos em uma penumbra, um lugar de caridade controlada, onde o ar sóbrio e calmo se espalhava. Ele me apontou um prédio alto, em estilo quase gótico, com altas torres e luzes enevoadas.

_Chegamos! Aqui você vai ficar para aprender, para se doutrinar e evoluir. Lá dentro é mais iluminado.

Fiquei olhando as janelas…seu padrão me recordava o Cabaret.

As sombras se alongando até se derreterem na parede oposta…, as velhas sombras das janelas do Cabaret. Assemelhava-se à familiaridade do Cabaret…” 

PS: Esse excelente livro conta a história de três espíritos, integrados as falanges de Veludo, Serra Negra e Maria Padilha. Para quem quiser conhecer um pouco mais sobre Exu dentro da Lei de Umbanda, é um excelente livro. Acho interessante a maneira simples como Exu Pedra Negra explica o que é ser um Exu de Lei no trecho acima. Esse trecho retrata muito bem também, como os espíritos ligados a egrégora de Umbanda esclarecem os menos favorecidos, sem doutrina pesada, dogmas ou citações religiosas. Além da ênfase que se dá para o trabalho reconstrutor, ao invés do sofrimento descabido (muito naturais das doutrinas extremamente cristãs).

Fica a recomendação dos outros dois livros psicografados pelo autor: Mandinga e Rosário Pelourinho. Edson Gomes deveria ser mais conhecido no meio umbandista, seus livros são bem bacanas. A ele, e aos seus mentores espirituais, nossa homenagem…

Anúncios

15 comentários sobre “Exu de Lei nas Palavras de Seu Pedra Negra

  1. quero saber mais sobre o livro “Exu de lei nas palavras de seu Pedra Negra’

  2. Bom dia meu amigo: seu site me cativou de imediato. Seu excerto do texto/diálogo do Exu Serra Negra com seu pupilo, do livro de Edson Gomes: “Histórias do Povo de Umbanda”, me despertou o interesse. Acessei o site da estante virtual e adquiri dois livros do Edson Gomes: este e o “O Rosario e o Pelourinho”. Uma pena que “Mandinga” não encontrei. Um abraço, obrigado por existir, e disponibilizar informações tão preciosas! -02:49 18/12/2009

  3. i love you exu pedra negraaaaaaaaaaaaa

  4. eu estou procurando saber mais de um exu que eu trabalho que se chama exu pedra preta se vose souber alguma coisa e poder me enviar eu le agradesso

  5. Sempre procurando o aprendizado e dividi-lo com todos os irmãos e tb receber!!!

    Abraços fratwernos a todos e muita paz!!!!

  6. XANGÔ ! ! !
    Sou filho de XANGÔ do qual deixo minha gratidaão a meu pai Oxalá de Oromilaia, pois ser filho de XANGÔ é um privilégio ! ! !

    OMULÚ ! ! !
    Estou assentado na linha do grande e poderoso Orixá Omulú , o Sr das 3 passagens (Obaluaiê/Xapanã/Omulu), sendo assistido por Exú Caveira e sua falange (49).

    Tudo muito ligado ao povo da Kalunga pequena, do qual faço o trabalho de desencarne à noite, (hora da partida), mas também à criança , nos seus primeiros dias de existência (desligamento do cordão umbilical), entretanto do decorrer de suas existência sinto que erdei o poder da cura (Sr Xapanã).

    Trabalho de forma universal, mas sempre na luz, através da Kimbanda, Umbanda, Candomblé e Nação, recebendo incorporações (energias) também nas falanges Kardeccistas, (Chico, Fénelon, Dias da Cruz, André Luís, Bezerra de Menezes…

    Sou membro desta corrente de ferro umbandista:
    Diretor espiritual: Zélio Fernandino de Moraes
    Fundador: Mohab Caldas
    CORRENTE: Mohab Caldas, Príncipe Custódio, Jorge Alberto Beck Mendes Ribeiro, Orlando Viti, Elfuni Zaniol, José Sarney e Pedro Simon.

    CHICO , MUITO OBRIGADO, POR VOCÊ EXISTIR, POIS SEU TRABALHO, ALÉM DE ESCLARECEDOR, PERTENCE À LUZ DIVINA ! ! !

  7. ola gostaria de esclarecer uma duvida, pois o exu com quem trabalho chama-se Exu de Lei e aki me pareceu nao um nome mas sim um termo, eh q procuro imagens e pontos dele, se puderem me ajudar agradeceria

  8. quero saber mais sobre este exu pedra negra ele me acompanha desde meus 8 anos de idade.

  9. Bom , meu exu é exu de lei ainda nao sei o nome mas ele trabalha na linha da lei ,, minha vó uma grande media ainda quando teu corpo aguentava incorporar veio um marinheiro e contou a historia dele para min ,, é um exu novo nao é conhecido ‘ .. MSN : henrique_shaavozo@hotmail.com

  10. oi meu amigo eu trabalho com exu serra negra meu eterno amigo…me fala mas sobre ele abraçoss…………

  11. Olá, gostei muito do seu discernimento e opiniões pessoais sobre a doutrina da umbanda,realizo um trabalho muito modesto no que diz respeito a simbologias e aparatos exagerados e de cunho universalista.
    seu modo de pensar exponhe muita semelhança com o meu próprio,parabéns e continuarei seguindo seus estudos e opiniões.
    Abraço fraterno!

  12. boa tarde a todos procuro se alguem puder me ajudar preciso encontrar a imagem do exu pedra negra

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s